1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Gasto de brasileiro no exterior em 2015 é o menor desde 2010

- Atualizado: 26 Janeiro 2016 | 12h 57

Conta de viagens ficou negativa em US$ 11,5 bi em 2015; alta do dólar no ano passado, de 48,5%, influenciou a redução de despesas

Brasileiros gastaram US$ 1,245 bilhão no exterior em dezembro

Brasileiros gastaram US$ 1,245 bilhão no exterior em dezembro

BRASÍLIA - Os brasileiros diminuíram suas despesas com turismo no exterior em 2015, depois do recorde de gastos líquidos com viagens internacionais em 2014 (US$ 18,724 bilhões).

Conforme dados divulgados nesta terça-feira pelo Banco Central (BC), a conta de viagens ficou negativa em US$ 653 milhões em dezembro do ano passado, levando o resultado de 2015 a também ficar negativo em US$ 11,513 bilhões - o menor desde 2010. O BC projetava um déficit de US$ 11,7 bilhões para essa conta. Essa diminuição das despesas foi impactada pela alta do dólar no ano passado, de 48,5%.

"A conta mais emblemática é a de viagens, que encerrou com déficit de US$ 11,5 bilhões. Houve recuo de 39% na comparação com 2014", calculou o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel. "O dólar impacta de uma forma direta na conta de viagens internacionais. A renda do brasileiro crescendo menos também afeta as viagens ao exterior", destacou Maciel.

"Em 2015, as viagens internacionais tiveram um ajuste forte. Em 2016, deve continuar a cair, mas não na mesma proporção do ano passado", disse.

O início da atual série histórica do BC é em 2010, quando os gastos líquidos com viagens somaram US$ 10,704 bilhões - o menor até agora. Nos anos seguintes, o que se viu foi aumento: US$ 14,707 bilhões em 2011; US$ 15,661 bilhões em 2012; US$ 18,554 bilhões em 2013. 

Tulio Maciel ponderou que as receitas com estrangeiros no Brasil caíram 15% entre 2014 e 2015, mas observou que isso era esperado em função da Copa do Mundo, que atraiu muitos turistas para o Brasil. Segundo ele, "pode ser que com a desvalorização do câmbio (alta do dólar frente o real), seja mais atrativo visitar o Brasil".

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX