Gerdau compra empresa de material de construção nos EUA

A Enco Materials, sediada em Nashville, tem oito fábricas espalhadas por três Estados

O Estadao de S.Paulo

02 Outubro 2007 | 00h00

O grupo siderúrgico Gerdau anunciou ontem a compra, nos Estados Unidos, da Enco, fabricante de materiais de construção, como aço estrutural e produtos de arquitetura. A aquisição foi feita por meio da Gerdau Ameristeel, subsidiária americana do grupo. A Enco, com sede em Nashville, Tennessee, conta com oito fábricas nos Estados do Tennessee, Arkansas e Georgia, e emprega 250 pessoas. O valor do negócio não foi revelado. ''''Estamos muito otimistas com as oportunidades que a Enco abre para a nossa companhia'''', disse, em nota, o vice-presidente comercial da Gerdau Ameristeel, J. Neal McCullohs. ''''Essa aquisição nos coloca em novos mercados, mas, mais importante do que isso, eleva o número de produtos e serviços que podemos oferecer aos nossos clientes.'''' Essa foi a sexta aquisição da Gerdau apenas este ano. Antes dela, o grupo tinha fechado, em julho, a compra, também nos Estados Unidos, da Chaparral Steel, um negócio de US$ 4,2 bilhões que coloca a Gerdau entre as dez maiores produtoras de aço do mundo, com uma produção somada de 18,4 milhões de toneladas. À época da compra da Chaparral, o presidente-executivo da Gerdau, André Gerdau Johannpeter, disse que a empresa continuava à procura de novos negócios. ''''Continuamos abertos a novas aquisições e com nossa estratégia de sermos um dos consolidadores no setor siderúrgico'''', disse. Desde janeiro, excluída a compra anunciada ontem, a corrida por novos ativos exigiu investimentos de US$ 4,685 bilhões da Gerdau. Antes da Chaparral, o grupo havia adquirido a mexicana Tultitlán, por US$ 259 milhões, a Inca, da República Dominicana, por US$ 42 milhões, a venezuelana Sizuca, por US$ 93 milhões, e a indiana SJK, por US$ 71 milhões. Desde dezembro de 1980, quando foi iniciado o processo de internacionalização da Gerdau, o grupo já investiu US$ 7,7 bilhões em aquisições, investimento e atualização tecnológica no exterior. O cálculo só considera o valor do investimento. Estão fora desses números as dívidas assumidas pelo grupo ao adquirir os ativos. No mesmo período, no Brasil, os investimentos foram de US$ 5,5 bilhões. O processo de internacionalização, embora antigo, se acelerou a partir de 2002. Desde então, a empresa já comprou 24 negócios no exterior. Hoje, por exemplo, a produção da empresa nos Estados Unidos já é maior que no Brasil. AQUISIÇÕES México: Em 28 de março, a Gerdau anunciou a compra da Tultitlán por US$ 259 milhões República Dominicana: Em 22 de maio, foi fechada a compra da Inca por US$ 42 milhões Venezuela: A compra da Sizuca, por US$ 93 milhões, foi anunciada pela Gerdau em 18 de junho Índia: Quatro dias após o anúncio na Venezuela, a Gerdau informou que havia comprado a indiana SJK por US$ 71 milhões EUA: A compra da Chaparral, por US$ 4,2 bilhões, foi anunciada em 10 de julho. Foi a maior aquisição da história do Grupo Gerdau

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.