'Há todas as condições de aprovar a reforma da Previdência', diz Padilha

O ministro chefe da Casa Civil afirmou que a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara não é parâmetro para as outras reformas, mas admite que o ano eleitoral pode tornar mais custosa a aprovação da medida

Lu Aiko e Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

26 Outubro 2017 | 13h02

BRASÍLIA - O ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse há pouco que a votação de ontem na Câmara não é parâmetro para a votação da reforma da Previdência.  "Há todas as condições de aprovar as reformas" , afirmou. 

Ele disse que vai dialogar com o Congresso em torno de a reforma mínima, que do ponto de vista do governo deve conter a fixação da idade mínima e é a eliminação de privilegios. 

"O presidente Temer e o presidente Rodrigo Maia são unânimes em dizer que o Brasil não pode deixar de ter reforma da Previdência", disse. Ele citou como exemplos negativos a Grécia e a Espanha, que chegaram ao ponto de nao conseguir  pagar aposentadorias.

Padilha reconheceu que o ano eleitoral torna mais custosa a aprovação de medidas impopulares .

O ministro informou que deve enviar amanhã a proposta de revisão do orçamento de 2018.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.