1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine

Hambúrguer de proveta enfrenta seu primeiro teste

30 Julho 2013 | 18h 59

Apelidado de 'Frankenburger', sanduíche é feito com carne cultivada em laboratório com células-tronco

SÃO PAULO - O primeiro hambúrguer artificial fabricado com tecidos de células-tronco de uma vaca será servido esta semana em restaurante de Londres.

O protótipo do custou 250 mil libras esterlinas, o equivalente a R$ 850 mil.O hambúrguer foi criado pelo professor Mark Post, que acredida ter descoberto uma solução para a indústria de alimentos.

O hambúrguer de proveta com carne cultivada em um laboratório poderia substituir a longo prazo o gado criado no pasto, segundo o inventor.

Com isso, seria possível suprir a demanda mundial por proteínas sem a necessidade de grandes rebanhos de gado, evitando o desmatamento e economizando alimentos e combustíveis.

O produto, que está sendo chamado de 'Frankenburger', é feito a partir de 3 mil pequenas tiras de carne cultivada a partir de células-tronco.

A pesquisa foi financiada por um empresário anônimo - que pode ser o primeiro a experimentar o hambúrguer.

O processo de fabricação de carne artificial começa com a retirada de  células estaminais do músculo de uma vaca. As células são incubadas em caldo nutriente e se multiplicam várias vezes, criando um tecido adesivo com a consistência de um ovo cozido.

Depois as tiras da carne cultivada são picadas e misturadas com gordura animal para formar o hambúrguer.O processo ainda é demorado e caro, mas o inventor acredita que pode acelerar a produção para um ciclo de aproximadamente seis semanas.

Os cientistas dizem que é possível que a carne possa vir a ser vendida ao público dentro de dez anos, contribuindo para reduzir a quantidade de áreas verdes, ração animal e combustível na produção de carne bovina.Cada quilo de carne exige 10 quilos de ração e óleo vegetal, mas a carne cultivada só precisa de dois.