1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Importações chinesas de commodities caem em maio por estoques altos

REUTERS

08 Junho 2014 | 09h 49

As importações chinesas das principais commodities caíram em maio em relação ao mês anterior, mostraram dados da alfândega neste domingo, conforme as companhias reduziram pedidos após importações robustas nos meses anteriores causarem um excesso de oferta.

A queda dos preços de produtos diante da demanda lenta levou empresas que têm registrado prejuízo, como as siderúrgicas, a reduzir pedidos. O crescente controle sobre o financiamento de commodities e o crédito mais escasso também pesaram sobre a demanda por importações.

As importações diárias de petróleo caíram 9,4 por cento em relação à máxima atingida em abril, enquanto as de soja recuaram 8,2 por cento em relação ao mês anterior, quando haviam registrado o maior nível de 2014.

As importações de minério de ferro, carvão e cobre também recuaram, sendo que as duas últimas commodities foram afetadas ainda pelos maiores preços no mercado internacional.

"Exigências mais estritas de bancos para empréstimos comerciais abalaram os pedidos de importações em algum grau. Altos estoques e uma arbitragem fraca de importações também mantiveram compradores distantes", disse o analista de metais Lian Zheng, da Xinhu Futures.

Os dados da balança comercial chinesa mostraram que as exportações em geral ganharam força em maio diante da recuperação da economia global, mas uma queda inesperada de 1,6 por cento nas importações totais, contra aumento de 0,8 por cento em abril, pode sinalizar demanda doméstica mais fraca.

O governo chinês divulgará dados sobre a produção industrial, vendas no varejo e investimento em ativos fixos na sexta-feira.

(Por Fayen Wong)