Reprodução
Reprodução

Imprensa internacional repercute rebaixamento da nota do País

A avaliação da agência de classificação de risco Standard and Poor's rebaixou o rating do Brasil de BBB- para BB+, o que retira o grau de investimento do País

Raquel Brandão Inácio , O Estado de S. Paulo

10 Setembro 2015 | 13h14

Não foi apenas o mercado que reagiu ao rebaixamento da nota do Brasil após avaliação da agência de classificação de risco Standard and Poor's na noite de quarta-feira, 9. Depois ter o rating rebaixado de BBB- para BB+, perdendo o grau de investimento e a credibilidade como bom pagador, o País se tornou destaque nas manchetes dos principais jornais do mundo. 

A notícia foi uma das mais populares no site do britânico Financial Times. Já a The Economist publicou que "o mistério é não ter acontecido antes [o rebaixamento]." O espanhol El País chamou atenção para o agravamento das crises econômica e política. "Um dos maiores pesadelos da equipe econômica e de Dilma Rousseff e do empresariado brasileiro começou a ganhar forma nesta quarta-feira", diz o texto. 

Em nota, o ministro da Fazenda Joaquim Levy declarou que o governo brasileiro "reafirma seu compromisso com a consolidação fiscal" e que "o esforço fiscal é essencial para equilibrar a economia em um ambiente global de incerteza". Apesar da avaliação da Standard and Poor's, o País mantém a nota de grau de investimento das agências Fitch e Moody's. 

Confira abaixo as publicações:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.