1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Inadimplência sobe 9,56% em maio, a maior alta anual desde 2010

Anne Warth, Beatriz Bulla - Agência Estado

09 Junho 2014 | 09h 52

Segundo a CNDL e o SPC Brasil, o número de pessoas físicas inadimplentes aumentou 1,38% em relação a abril

BRASÍLIA - Com a alta do juro nos últimos meses, a inadimplência também subiu. O indicador avançou 9,56% em maio na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Foi a maior variação anual registrada desde o início da série histórica, que teve início em janeiro de 2010.

Em relação a abril, o número de pessoas físicas inadimplentes registradas na base de dados aumentou 1,38%. Segundo as entidades, a partir desse dado é possível estimar que 55,04 milhões de CPFs estavam registrados no serviço até o fim do mês passado. 

A projeção para o crescimento da inadimplência das pessoas físicas neste ano subiu para 7,5% em relação a 2013. A estimativa anterior da CNDL era de uma alta entre 4,5% a 5%.

"Temos uma expectativa que o número de pessoas inadimplentes cresça por volta de 7,5% em relação a 2013", afirmou a economista do SPC Brasil, Luiza Rodrigues. Segundo a economista, a nova projeção está relacionada ao aumento da taxa básica de juros. 

Dados do SCPC. Segundo a  Boa Vista, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), a inadimplência sofreu queda de 6,8% em maio, mas no acumulado dos últimos 12 meses subiu 1,8%, em aceleração. Para a análise do acumulado em 12 meses, é considerado o período entre junho de 2013 até maio de 2014 na comparação com junho de 2012 a maio de 2013.

Na análise dos últimos 12 meses, a única região que apresentou queda nos registros de inadimplência foi o Sudeste (-1,3%). Foram apuradas altas no Nordeste (7,3%), Sul (5,9%), Norte (5,7%) e Centro-Oeste (5,5%).

A Boa Vista SCPC espera a manutenção da seletividade de crédito, do desaquecimento no mercado de trabalho e também do encarecimento do crédito devido ao aumento das taxas de juros. Nessa perspectiva, a previsão é de que os registros de inadimplência para o ano permaneçam abaixo de 3%.

Considerando apenas o setor de varejo, a inadimplência dos consumidores subiu 11,6% em maio ante abril, já descontados os efeitos sazonais. Mas no acumulado do ano até maio ante igual período de 2013, foi apurada queda de 8,3%. Também foram registrados recuos nas comparações com maio do ano passado (10,4%) e na análise em 12 meses (5,9%). 

  • Tags: