Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Economia & Negócios

Economia » Índice de reajuste do aluguel acelera para 1,29% em fevereiro

Economia & Negócios

ROBSON FERNANDJES/ESTADÃO

Economia

IGP-M

Índice de reajuste do aluguel acelera para 1,29% em fevereiro

A variação acumulada do IGP-M em 2016 é de 2,44% e, em 12 meses até fevereiro, é de 12,08%, mostra índice calculado pela FGV

0

Karla Spotorno,
O Estado de S.Paulo

26 Fevereiro 2016 | 08h26

SÃO PAULO - O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) acelerou de 1,14% em janeiro para 1,29% em fevereiro, divulgou nesta sexta-feira, 26, a Fundação Getulio Vargas (FGV).  Em fevereiro de 2015, a variação foi de 0,27%. A alta acumulada do IGP-M em 2016 é de 2,44% e, em 12 meses até fevereiro, é de 12,08%.

O resultado ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pela Agência Estado, entre 1,15% a 1,35%, e acima da mediana de 1,24%.

Entre os três indicadores que compõem o IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M) avançou de 1,14% em janeiro para 1,45% em fevereiro. Na mesma base de comparação, o  Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) saiu de 1,48% para 1,19%. O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-M) acelerou de 0,32% para 0,52%.

No caso do IPA, o índice relativo aos Bens Finais desacelerou na passagem de janeiro para fevereiro, de 1,84% para 1,43%. Contribuiu para essa desaceleração o subgrupo alimentos in natura, cuja taxa de variação passou de 7,60% para 2,48%. Por outro lado, o índice referente ao grupo Bens Intermediários passou de 0,69% para 1,16%, com pressão do subgrupo materiais e componentes para a manufatura.

No estágio inicial da produção, o índice do grupo Matérias-Primas Brutas também acelerou, passando de 0,85% para 1,83%. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram: milho (em grão) (9,68% para 17,79%), bovinos (0,09% para 2,63%) e cana-de-açúcar (1,39% para 4,03%). 

A principal contribuição para a desaceleração dos preços ao consumidor (IPC) partiu do grupo Alimentação (2,36% para 1,42%), com destaque para hortaliças e legumes, cuja taxa passou de 19,44% para 5,29%. Passado o período de matrículas, os preços referentes à educação também desaceleraram, passando de 3,67 % para 2,06%.

O INCC, por sua vez, registrou variação de 0,52% em fevereiro, acima do resultado de janeiro, de 0,32%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou taxa de 0,51% ante 0,15% no mês anterior.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.