Dario Oliveira|Estadão
Dario Oliveira|Estadão

Expectativa de avanços na reforma da Previdência anima investidor

Depois de uma semana pessimista, mercado voltou a acreditar na aprovação da reforma ainda este ano

Douglas Gavras, O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2017 | 18h32

A possibilidade de avanço na reforma da Previdência soou bem entre investidores do mercado financeiro nesta segunda-feira, 4. A Bolsa teve um dia de otimismo cauteloso, após o encontro, no domingo, 3, em que o presidente Michel Temer propôs um pacto com parlamentares para aprovar a proposta.

O Ibovespa fechou em alta de 1,14%, aos 73.090,17 pontos. O dólar à vista fechou em queda de 0,28%, a R$ 3,245.

++'Municípios terão R$ 3 bi se reforma da Previdência for aprovada', diz Eliseu Padilha

Segundo analistas, o mercado recobrou parte das expectativas que tinha perdido com a reforma da Previdência, mesmo que a janela para a aprovação do texto ainda este ano pelos parlamentares seja estreita. 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ajudou a alimentar essas expectativas. Ele disse que no último sábado, 2, estava pessimista quanto à chance de votação da reforma na semana que vem, mas que passou a ser “realista” após a reunião de Temer com aliados

Maia se arriscou a citar números e afirmou que, em princípio, haveria 325 votos a favor da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Previdência, contando com deputados da oposição favoráveis à proposta. “O governo precisa trabalhar a base e esses partidos para que a gente possa ter 330 deputados.”

++Governo tenta avançar em acordo com partidos para aprovar a reforma da Previdência

Para o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito, o otimismo do mercado faz todo o sentido, dado que até recentemente havia uma perspectiva de que a reforma estava “fazendo água” e de que o governo não tinha mais tempo ou forças suficientes para a aprovação da proposta. “O mercado sempre procura novas notícias positivas. Ainda que saiba que uma reforma a essa altura não iria além de uma versão desidratada, o que vier é lucro.”

O economista da XP Investimentos Gustavo Cruz concorda que o mercado vê com bons olhos as investidas do governo. “As agências de classificação de risco também sinalizaram que podem diminuir as notas do País, caso nada seja feito na Previdência (leia mais abaixo). Qualquer sinal positivo pesa.” 

Nesse cenário, ficaram entre os principais destaques na Bolsa os papéis da Vale, da Bradespar e das siderúrgicas. Elas reagiram à alta de 3,67% do minério de ferro no mercado à vista chinês. Vale ON teve ganho de 3,80%, enquanto Gerdau Metalúrgica PN avançou 4,93% e Gerdau PN ganhou 2,17%. No setor financeiro, Santander Brasil (units) subiu 3,69%, seguida por Banco do Brasil ON (2,44%) e Bradesco PN (+1,72%). 

Lá fora, o humor também é favorável após o Senado americano aprovar uma ampla reforma tributária – boa notícia para o presidente Donald Trump. 

Precaução. Apesar da alta significativa do Ibovespa, analistas ouvidos pelo Broadcast/Estadão consideram que o avanço, em sua essência, foi uma recomposição de posições, depois da queda de mais de 3% em novembro, e mesmo com a sensação de que o governo tem se esforçado para votar a Previdência, a palavra de ordem é cautela.

Fabio Silveira, da Macrosector, lembra que pesa o resultado do PIB do terceiro trimestre, de alta de 0,1%, divulgado na última sexta-feira. “O investidor mais experiente nem conta tanto com a Previdência, mas sente que a economia está bem encaminhada e que já está dado que 2018 será de crescimento mais robusto, ao menos até o primeiro semestre.” / COLABORARAM PAULA DIAS e NATÁLIA FLACH

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.