1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Investidor vende ações para embolsar lucro e Bolsa recua 0,24%

Fabrício de Castro - Agência Estado

01 Setembro 2014 | 18h 17

A Bovespa chegou a subir mais de 1%, mas os ganhos do último mês abriram espaço para que a chamada 'realização de lucros'

Clayton de Souza/Estadão
Bolsa ameaçou passar dos 62 mil pontos, mas acabou o dia em queda de 0,24%

A Bovespa chegou a sustentar ganhos consistentes ao longo da sessão, superiores a 1%, em meio à euforia com as pesquisas eleitorais mais recentes. Só que o fato de a Bolsa brasileira estar registrando fortes ganhos há algum tempo abriu espaço, à tarde, para realizações de lucros. Sem a referência de Nova York, em função do feriado do Dia do Trabalho, muitos investidores embolsaram ganhos e o Ibovespa terminou em queda de 0,24%, na cotação mínima de 61.141,27 pontos.

Na máxima da sessão, registrada pela manhã, o Ibovespa marcou 62.279 pontos (+1,62%). Os destaques eram, novamente, os papéis de empresas estatais, como Petrobrás e Eletrobrás. Tudo porque o mercado financeiro espera que, com a eventual vitória de Marina Silva (PSB) na corrida presidencial, o intervencionismo do governo nestas empresas diminua. Na semana passada, tanto o Ibope quanto o Datafolha haviam projetado vitória de Marina sobre Dilma Rousseff (PT) no segundo turno. 

O viés hoje era, mais uma vez, positivo para a Bolsa. No entanto, o mercado de ações brasileiro já havia fechado agosto com ganhos de quase 10%, o que deixava espaço para realizações. 

À tarde, os papéis da Petrobrás, que chegaram a marcar a maior valor intraday desde junho de 2010 no caso dos PN, desaceleraram os ganhos. Isso também foi percebido com as ações da Eletrobras. Outros papéis importantes para o Ibovespa, como os da Vale, já estavam em queda desde mais cedo - neste caso, porque o preço do minério de ferro negociado na China atingiu o menor patamar em 2 anos. 

No fim, Petrobrás ON subiu 1,54% e PN teve ganho de 2,06%, enquanto Eletrobras PNB teve ganho de 1,38%. Ainda forte, Eletrobrás ON avançou 5,52%. Banco do Brasil ON subiu 1,26%. Do lado das baixas, Vale ON cedeu 0,58% e Vale PNA teve queda de 0,85%. 

A desaceleração dos ganhos das estatais e as baixas verificadas em outros setores fizeram o Ibovespa fechar na mínima de 61.141,27 pontos, em baixa de 0,24%. Da máxima vista mais cedo para esta mínima, o Ibovespa oscilou -1,83%. Foi este o tamanho do "tombo" provocado pela realização de lucros.