1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Investidores europeus ameaçam processar a Petrobrás por perdas com corrupção

- Atualizado: 10 Fevereiro 2016 | 16h 26

Os investidores querem ser compensados pelas perdas com a desvalorização dos papéis da Petrobrás na Bovespa e em bolsas de valores estrangeiras

A Justiça dos EUA liberou investidores para processarem a Petrobrás em ações conjuntas

A Justiça dos EUA liberou investidores para processarem a Petrobrás em ações conjuntas

RIO - Mais um grupo de investidores ameaça acionar a Petrobrás na Justiça por causa das perdas decorrentes dos desvios de recursos que vieram à tona com a Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Dessa vez, são investidores europeus, reunidos na fundação Stichting Petrobras Compensation, que, segundo comunicado oficial, enviou carta à petroleira chamando para negociar um acordo. Como não receberam resposta da empresa dizem que vão recorrer ao tribunal de Roterdã, na Holanda. 

Os investidores querem ser compensados pelas perdas com a desvalorização dos papéis da Petrobrás na Bovespa e em bolsas de valores estrangeiras. "Em nome da Fundação nós escrevemos para a Petrobrás que a Fundação deseja discutir uma possível solução para compensar investidores da Petrobrás que compraram ações ou obrigações fora dos Estados Unidos. Caso a Petrobrás não responda de forma satisfatória, a Fundação nos instruiu a iniciar processos judiciais na Holanda", informou ao Broadcast, serviço de informações em tempo real da Agência Estado, a advogada Martijn van Dam, que está tratando do caso. 

Os investidores alegam que a Petrobrás "tem operações significativas na Holanda" e ainda que áreas da petroleira supostamente envolvidas nos esquemas de corrupção também têm sede em Roterdã. "Os investidores europeus foram prejudicados por conta da suposta fraude e suborno ocorridos na Petrobrás", afirma. 

Neste mês, a Justiça dos Estados Unidos liberou investidores para processarem a Petrobrás em ações conjuntas. Duas classes de investidores foram certificadas pelo juiz distrital norte-americano Jed Rakoff.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX