Filipe Araujo/Estadão
Filipe Araujo/Estadão

Investimento cresce em agosto depois de 13 meses de queda

Comparado ao mesmo período do ano passado, aumento foi de 0,8%; em 2017, porém, queda acumulada é de 3,9%

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2017 | 13h40

RIO - Após 13 meses de quedas consecutivas, os investimentos, enfim, fecharam no positivo em agosto, 0,8% de alta na comparação com o mesmo período do ano passado.

O dado foi divulgado nesta quinta-feira, 19, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que produz o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF).

Na comparação com julho, os investimentos registraram ligeiro recuo de 0,1%. No ano, o índice ainda acumula uma queda de 3,9%.

O componente de máquinas e equipamentos cresceu na comparação agosto e julho, mas a construção encolheu, retração de 2,3% após dois avanços seguidos.

O consumo aparente de máquinas e equipamentos, obtido pela soma da produção doméstica e das importações, excluídas as exportações, teve avanço de 1,8% no período, depois de uma queda de 0,9% no mês anterior.

A produção doméstica de bens de capital avançou 1,4% em agosto ante julho; o volume de importações caiu 1,2%; e o volume exportado de bens de capital recuou 1,1%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.