Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Economia & Negócios

Economia » iPhone impulsiona boa fase da Apple na China

Economia & Negócios

Economia

China

iPhone impulsiona boa fase da Apple na China

Dados do governo e consultorias mostram que empresa apresenta bom desempenho, apesar da queda na demanda por smartphones no país

0

Shai Oster,
O Estado de S.Paulo

17 Janeiro 2016 | 02h55

Na China, as vendas de smartphones da Apple, Microsoft e de outras que não usam o sistema operacional Android aumentaram 33% no último trimestre de 2015, de acordo com dados de analistas e do governo, impulsionadas pelas vendas vigorosas de iPhone em seu maior mercado fora dos Estados Unidos.

Cerca de 24,3 milhões de smartphones que não utilizam software da Google foram comercializados no país entre outubro e dezembro, segundo dados fornecidos pela China Academy of Telecommunications Research, braço de pesquisa do ministério da Indústria e Tecnologia da Informação. O aumento foi confirmado pela consultoria de mercado Marbridge Consulting, que destaca um crescimento equivalente a um terço do volume vendido no mesmo período do ano anterior – a maioria foi iPhones.

“Foi uma surpresa. Não havia um consenso de que a Apple teria um grande sucesso de vendas no quarto trimestre, de modo que isso vai contra o atual sentimento dos investidores”, disse o analista da consultoria Sanford C. Bernstein, Alberto Moel, baseado em Hong Kong.

A expectativa de que as vendas do iPhone seriam ruins derrubaram as ações da Apple e de suas principais concorrentes e fornecedoras, incluindo a Samsung e a Hon Hai Precision Industry. Na semana passada, a Samsung reportou receitas no quarto trimestre abaixo das estimativas dos analistas, o mais recente sinal de que o mercado global de smartphones vem perdendo ímpeto à medida que mercados maduros e a economia chinesa desaceleram.

“Em retrospectiva, 2015 foi um ano deprimente para o setor de hardware de tecnologia”, afirmaram os analistas Steven Pelayo e Lionel Lin, da Global Research, em relatório divulgado em 12 de janeiro. “A demanda fraca resultou de um excesso de oferta em toda a cadeia, com as empresas procurando se desfazer dos estoques excedentes em grande parte do ano.”

Crucial. A China é um componente cada vez mais importante das operações da Apple. Em setembro de 2015, quando a Apple lançou o iPhone 6S e o 6S Plus, 13 milhões de aparelhos foram vendidos no primeiro final de semana. A Apple dobrou sua receita no país no terceiro trimestre de 2015, alcançando US$ 12,5 bilhões.

A companhia tem 28 lojas na China e pretende operar 40 até o meio do ano. “Se realmente contabilizaram boas vendas na China no último trimestre, isto é muito importante para a Apple, especialmente face aos investimentos feitos pela empresa para reforçar sua presença no país”, disse Bryan Ma, analista da empresa de pesquisa da IDC, em Cingapura. Segundo Ma, o segmento de smartphones que não utiliza o sistema Android também inclui plataformas chinesas.

A demanda na China vem diminuindo depois de anos de crescimento arrasador: as vendas de smartphones devem registrar alta de somente 1% no ano passado, depois de um avanço de 20% em 2014 e 64% em 2013, segundo o IDC. Marcas domésticas como Xiaomi e Huawei entraram nos segmentos médio e alto, disputando com Apple e Samsung uma fatia do mercado.

A Apple informará os resultados financeiros do quarto trimestre de 2015 em 26 de janeiro. A empresa prevê receita recorde, graças à China. /BLOOMBERG/TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.