IPVA: pagar a cota única é a melhor alternativa

A virada do ano é tradicionalmente acompanhada pelos vencimentos de muitos impostos. Um deles é o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). O valor do tributo está definido e grande parte dos proprietários já recebeu em casa um comunicado com informações sobre o recolhimento do imposto. Diferentemente dos anos anteriores, não existe mais uma fatura do IPVA. O pagamento deve ser feito eletronicamente em um dos 34 bancos conveniados com a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo ou no site www.fazenda.sp.gov.br, indicando o número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). O recolhimento poderá ser feito em cota única com desconto de 3,5% em janeiro, em cota única sem abatimento em fevereiro ou em três parcelas, entre janeiro e março. Os vencimentos variam conforme o final da placa do carro. Do comunicado consta ainda o valor do seguro obrigatório (DPVAT) e do licenciamento, mas ambos não precisam ser pagos com o IPVA. Segundo a Secretaria da Fazenda, no dia 3 será concluída a entrega de comunicados a quem alterou o endereço de residência ou é proprietário de veículo novo. O professor de matemática financeira José Dutra Vieira Sobrinho recomenda aos proprietários que, se puderem, quitem o imposto em janeiro, com o desconto. Segundo ele, o recolhimento parcelado embute um juro de 3,67% ao mês. "Portanto, vale a pena até retirar dinheiro de uma aplicação em renda fixa, pois o custo adicional do parcelamento superaria a remuneração que deixaria de ser obtida na aplicação." Para quem não tem recursos disponíveis para pagar o IPVA de uma vez em janeiro, Dutra sugere o parcelamento.

Agencia Estado,

26 Dezembro 2001 | 08h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.