IR: veja como fica a tabela com reajuste de 17,5%

O plenário do Senado aprovou ontem, em regime de urgência, e por votação simbólica, com 47 senadores presentes, projeto de lei que corrige a tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) em 17,5%, segundo apurou o repórter James Allen. O projeto vai agora para a sanção do presidente Fernando Henrique Cardoso (veja mais informações no link abaixo). A tabela do Imposto de Renda não é alterada desde janeiro de 1996. Este projeto de lei não mexe nas alíquotas, apenas nas faixas de contribuição e nas parcelas a deduzir. Isso significa que continuam válidas as alíquotas de isenção, 15% e 27,50%. Caso o projeto de lei com o reajuste em 17,5% seja sancionado pelo presidente, a alíquota de isenção válida hoje para quem possui renda mensal tributável de até R$ 900,00 mensais passará a valer para quem ganha até R$ 1.057,50 por mês. Quem possui uma renda mensal hoje tributável de R$ 1.800,00 e, portanto, paga a alíquota máxima de 27,50%, passará a pagar a alíquota de 15%. Veja abaixo como fica a tabela do Imposto de Renda para Pessoa Física: Tabela atual Base de cálculo Renda mensal Alíquota (%) Parcela a deduzir Até R$ 900,00 - Isento De R$ 901,00 até R$ 1.800,00 15,00% R$ 135,00 Acima de R$ 1.800,00 27,50% R$ 360,00 Tabela corrigida em 17,5% Base de cálculo Renda mensal Alíquota (%) Parcela a deduzir Até R$ 1.057,50 - Isento De R$ 1.057,51 até R$ 2.115,00 15,00% R$ 158,63 Acima de R$ 2.115,00 27,50% R$ 423,00 Confira como fica o imposto de renda na fonte em algumas faixas de renda: Renda bruta mensal (R$) IR (tabela atual) IR (tabela corrigida) Diferença 500,00 0,00 0,00 0,00% 1.000,00 15,00 0,00 - 100,00% 1.500,00 90,00 66,38 - 26,25% 2.000,00 190,00 141,38 - 25,59% 2.500,00 327,50 264,50 - 19,24% 3.000,00 465,00 402,00 - 13,55% 5.000,00 1.015,00 952,00 - 6,21% 7.000,00 1.565,00 1.502,00 - 4,03% 10.000,00 2.390,00 2.327,00 - 2,64%

Agencia Estado,

18 Dezembro 2001 | 08h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.