Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Entenda os porquês de a JBS vender a Moy Park para a própria JBS

A venda por US$ 1,3 bilhão foi anunciada hoje pela Pilgrim's Pride; a aquisição pode gerar sinergia anual de US$ 50 milhões

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

11 Setembro 2017 | 15h06

SÃO PAULO - A aquisição da irlandesa Moy Park pela norte-americana Pilgrim's Pride, duas empresas que fazem parte do grupo JBS, pode favorecer o resultado da compradora, com a redução de gastos com imposto de renda, devido à captação de dívida. "A captação de dívida pode trazer benefício fiscal para Pilgrim's", afirma o professor de finanças da FIA, Marcos Piellusch, sobre o chamado "benefício fiscal da alavancagem." Além disso, a transferência de caixa da Pilgrim's para JBS (com o pagamento pela Moy Park) vai ajudar a controladora a abater dívidas de curto prazo, diz um analista. A Pilgrim's Pride é controlada pela JBS e a Moy Park, subsidiária integral da empresa.

Em relatório, o BTG diz que a transação pode alterar a liquidez, uma vez que o dinheiro da Pilgrim's vai direto para a JBS, melhorando assim a capacidade de pagamento de alguns credores. "De qualquer forma, nossa primeira leitura é levemente negativa pois acreditamos que o mercado preferiria ver a alavancagem da JBS caindo através de uma venda a uma empresa independente", diz o banco.

+ Com acordo de leniência em xeque, venda de ativos da J&F é vista com cautela

A venda por US$ 1,3 bilhão foi anunciada hoje pela Pilgrim's Pride. A aquisição pode gerar sinergia anual de US$ 50 milhões nos próximos dois anos, além de incremento anual no faturamento de aproximadamente US$ 2 bilhões. A transação foi financiada por uma combinação de dinheiro disponível em caixa e dívida.

A Pilgrim's Pride é uma das principais processadoras de carne de frango dos Estados Unidos. No segundo trimestre deste ano teve lucro líquido de US$ 233,6 milhões, um aumento de 53% ante igual período do ano passado. A receita líquida aumentou 11% na mesma comparação, para US$ 2,25 bilhões. Já a Moy Park, que representa as operações da JBS Europa, teve receita líquida de 391,6 milhões libras, um aumento de 7,4%. Há atualmente uma forte demanda interna e externa por carne de frango dos Estados Unidos. Esse cenário fez com que as ações da empresa e de outras do setor, como Sanderson Farms, acumulassem valorização de mais de 50% neste ano, como observa o banco JPMorgan.

Segundo a JBS, a compra da Moy Park pela Pilgrim's Pride permitirá que a "companhia mantenha um desempenho financeiro sólido, com ativos diversificados e um portfólio de produtos inovador, alinhado com a sua intenção de abrir o capital de uma das suas subsidiárias nos Estados Unidos". A transação foi aprovada por unanimidade por um comitê interno composto por membros independentes representando os acionistas minoritários.

A operação anunciada nesta segunda-feira faz parte do programa de desinvestimento da JBS, anunciado no dia 20 de junho. Este plano teve início com a das operações de carnes da América do Sul para o concorrente Minerva, por US$ 300 milhões. A Alpargatas foi vendida por R$ 3,7 bilhões para o Cambuhy e Itaúsa. A mexicana Lala comprou a participação na Vigor por R$ 5,7 bilhões. No início do mês, a J&F, holding que reúne os negócios dos irmãos Batista, anunciou a venda da Eldorado Celulose e Papel para a empresa Paper Excellence (PE) por R$ 15 bilhões.

Déjà vu. Essa não foi a primeira vez que a família Batista fez uma operação de compra e venda entre as empresas do grupo. Em dezembro do ano passado, o Banco Original cedeu para a J&F Investimentos a titularidade e todos os direitos sobre a marca e nome de dois domínios na internet. O banco continuou a explorar a marca e domínio mediante pagamento de royalties para a J&F. O preço de venda acordado foi de R$ 422 milhões.

 

Mais conteúdo sobre:
Paper Excellence Moy Park J&F Alpargatas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.