1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Juros na Inglaterra independem de salário, diz Carney

Estadão Conteúdo

17 Agosto 2014 | 10h 33

O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) não precisa esperar que se acelere o crescimento da renda para aumentar a taxa de juros, disse o presidente Mark Carney em entrevista ao jornal Sunday Times publicada neste domingo. Na avaliação dele, o BoE está atento a sinais de que possa haver alta nos salários.

"Temos que ter a confiança de que a renda real vai aumentar gradualmente" antes de aumentar as taxas de juros, disse Carney ao jornal. "Não temos que esperar que o fato aconteça para agir", acrescentou.

O BoE segura sua taxa de juros básica em 0,5% desde março de 2009, mas investidores esperam alta no início de 2015, depois de mais de um ano de forte crescimento da economia. O BoE sinalizou na quarta-feira em seu Relatório de Inflação trimestral que permanece no curso para uma alta de juros no início de 2015, uma vez que o crescimento da renda mostre sinais de recuperação. A média da renda semanal, excluindo bônus, cresceu apenas 0,6% na comparação anual nos três meses terminados em junho, segundo os dados oficiais.

Membros do BOE vêm dizendo que, quando vierem, as elevações na taxa de juros serão pequenas e graduais, mas há sinais de discordância sobre quando começar a política de aperto. "Em termos de uma mensagem mais ampla, e na qual o comitê está unido e têm uma mesma visão, é que, conforme a expansão continua, as taxas irão subir", disse Carney ao jornal. "As pessoas podem ter visões diferentes sobre o momento exato, mas vai acontecer e o público deve se planejar de acordo com isso", acrescentou. Fonte: Dow Jones Newswires.