1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Locadoras se mobilizam para oferecer carros baratos para motoristas do Uber

- Atualizado: 26 Março 2016 | 08h 18

Localiza e Movida (do grupo JSL) são listadas pelo Uber como empresas parceiras e oferecem vantagens de preços aos motoristas do serviço, como aluguel de carro a partir de R$ 1,3 mil por mês; Unidas estende mesmas condições de serviço de frota

Serviço de transporte causou polêmica ao disputar mercado com táxis tradicionais

Serviço de transporte causou polêmica ao disputar mercado com táxis tradicionais

Em um período de marasmo para o setor automobilístico, o Uber está, aos poucos, tornando-se um novo nicho de negócio para as principais locadoras de veículos do País. Diante do acelerado aumento de motoristas autônomos cadastrados no serviço, que tem expansão de cerca de 30% ao mês, duas das principais empresas do setor – a Localiza e a Movida – são apontados no site do Uber como parceiras do serviço, enquanto a Unidas estendeu ao aplicativo de “caronas” vantagens que antes eram só oferecidas a empresas.

No site direcionado a motoristas cadastrados no serviço, o Uber detalha as condições oferecidas pela Localiza e pela Movida: a partir de R$ 1,3 mil por mês – ou pouco mais de R$ 43 por dia –, os prestadores de serviço do aplicativo podem conseguir um carro para rodar pela cidade. Segundo apurou o Estado, o movimento das locadoras responde tanto à necessidade de “girar” o setor em um momento de crise quanto à concorrência com investidores pessoa física que compraram vários veículos para alugá-los para uso no Uber, de forma semelhante como ocorre com os táxis.

Embora a Unidas não tenha ainda uma parceria formal com o Uber, o presidente da empresa, Pedro de Almeida, disse ao Estado que os motoristas já têm vantagens ao alugar veículos. Os preços praticados são semelhantes aos ofertados para pessoas jurídicas que fazem a terceirização de suas frotas com a Unidas. 

Almeida afirmou que um carro a ser usado na modalidade Uber X – a mais econômica do serviço – pode ser alugado por cerca de R$ 1,4 mil por mês. Ele ponderou, no entanto, que a quantidade de clientes do Uber locando veículos com a Unidas ainda é pequena. “É um negócio que, se ganhar volume, pode ficar interessante. Seria melhor se eles escolhessem um parceiro apenas, para que o preço pudesse ser reduzido.”

Apesar do site do Uber citar a parceria com Movida, do grupo JSL (Julio Simões Logística), o presidente da empresa, Renato Franklin, negou que exista uma parceria formal com aplicativo. No entanto, o executivo admitiu que a demanda por aluguel de carros para pessoas físicas tem crescido e que há motoristas do Uber incluídos neste contingente. “Alugamos carro para quem tem crédito e carteira de habilitação. Durante o procedimento, o cliente explica o motivo. Não temos restrição para esse caso (do Uber)”, disse.

Segundo Franklin, se o Uber for oficializado – o serviço ainda sofre uma série de contestações judiciais pelo mundo –, a fatia do serviço nas locações poderá crescer de forma significativa. Hoje, a Movida não tem estatísticas sobre o aluguel específico para o Uber. Em São Paulo, uma decisão do Tribunal de Justiça do Estado garantiu que os carros do aplicativo não podem ser apreendidos, mas uma lei para regular o serviço ainda está em fase de elaboração. 

Captação. Para o Uber, a parceria com as locadoras ajuda a angariar motoristas que querem “testar” a atividade. Segundo fontes ligadas ao Uber, quando um motorista se cadastra, ele tem de informar se pretende locar um veículo, em vez de usar um carro próprio. Caso selecione a opção de aluguel, é direcionado a uma página em que pode consultar as condições de Movida e Localiza. Após a checagem de antecedentes, o motorista apresenta à locadora o e-mail de ativação de sua conta e tem acesso às condições especiais.

Procurada, a Localiza não retornou; o Uber não comentou.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX