Aline Massuca/Divulgação
Aline Massuca/Divulgação

L’Oréal relança a NYX no Brasil com abertura de lojas-conceito

Linha de maquiagem completa oferta de varejo do grupo francês,que inclui ainda L’OréalParis e Maybelline

Mariana Durão, O Estado de S.Paulo

05 Julho 2017 | 05h00

RIO - Três anos após ter sido comprada pelo Grupo L'Oréal, a NYX Professional Makeup será relançada no Brasil de cara nova. No primeiro semestre, a  francesa assumiu a distribuição da marca de maquiagem no País, recolheu produtos e fechou quiosques. A nova estratégia, mais ambiciosa, prevê a abertura de lojas próprias. A estreia será amanhã no Barra Shopping, no Rio, onde uma festa estrelada por blogueiras influentes no tema busca atrair "make-up junkies" - adolescentes fissuradas em maquiagem -, público que divide as atenções da NYX com os maquiadores profissionais.

Até o fim do ano mais três lojas-conceito estão previstas no planejamento do grupo: duas em São Paulo e mais uma na capital fluminense.  O investimento no segmento tem razão de ser: o Brasil é hoje o 4º país em maquiagem no mundo, movimentando R$ 7 bilhões por ano segundo a H&B Make Up. Ao lado de  L'Oréal Paris  e Maybelline, a NYX forma a divisão Grande Público, voltada ao varejo. Em 2016 ela respondeu por 48% do negócio do grupo francês, que faturou € 25,8 bilhões. A categoria maquiagem tem uma fatia de 26,4% das vendas e é vista como a de maior potencial de crescimento nos próximos anos.

Mesmo tendo mudado de mãos, a marca segue fiel à essência que motivou sua criadora, Toni Ko, em 1999: oferecer ao público produtos de qualidade a preços acessíveis. Apaixonada por maquiagem, a sul coreana que se mudou aos 13 anos para a Califórnia, nos EUA, construiu aos 25 sua própria marca - que segundo rumores foi arrematada por US$ 500 milhões -  ao perceber que não havia no mercado um "meio termo" entre marcas premium e as baratas e de menor qualidade, vendidas nas farmácias. Hoje a NYX está presente em mais de 70 países.

Diretora da NYX Professional Makeup no Brasil, Bianca Pi explica que a marca tem um portfólio de 3 mil produtos e trará 2 mil para o mercado brasileiro em um primeiro momento. O grupo entendeu que quiosques seriam insuficientes para acomodar a linha. A aposta em cores vibrantes, brilho e diferentes texturas será transportada para as lojas, definidas por Bianca como verdadeiras "candy shops" (lojas de doces), onde os produtos são expostos e é possível testá-los. O conceito prevê espaços de ao menos 80 metros quadrados, com vitrine de sete metros, bancadas e espelhos, criando um ambiente inspirador, em especial para os clientes profissionais. 

No caso das adolescentes, o objetivo é que possam sempre levar mais de uma cor. Para isso, a NYX terá três níveis de preços. Os batons irão de R$ 23, a barra, passando por R$ 34 no caso de líquidos, carro-chefe da marca, até o teto de R$ 49.

Segundo Bianca, a ideia é realizar diferentes ações nas lojas, como aulas de maquiagem. O lançamento da loja do Barra Shopping será a primeira. Para atrair o público, a NYX acionou influenciadoras digitais: os cem primeiros na fila da inauguração vão conhecer nomes como Bianca Andrade (a Boca Rosa), Camila Nunes e Leticia de Paula, celebridades da rede quando se trata de maquiagem.

A experiência com as lojas próprias vai guiar os próximos passos da marca no País, inclusive o desenvolvimento de um canal de vendas digital no futuro. "O maior desafio é a cadeia de suprimentos. Queremos identificar os itens mais vendidos da marca antes de abrir o e-commerce", explica Bianca.

Mais conteúdo sobre:
Maquiagem Beleza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.