1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Lucro da Embraer em 2015 cai quase 70%, para R$ 241,6 milhões

- Atualizado: 03 Março 2016 | 08h 46

No quarto trimestre, contudo, a companhia de aviação registrou um ganho de R$ 425,8 milhões, uma alta de 76% em relação ao mesmo período de 2014

O voo inaugural da aeronave está programado para o segundo semestre de 2016

O voo inaugural da aeronave está programado para o segundo semestre de 2016

A Embraer encerrou o quarto trimestre de 2015 com lucro líquido atribuído aos acionistas de R$ 425,8 milhões, uma alta de 76% ante o lucro de R$ 241,9 milhões apurado no mesmo período do ano anterior. No resultado consolidado de 2015, a Embraer registrou lucro líquido atribuído aos acionistas de R$ 241,6 milhões, queda de 69,65% ante os R$ 796,1 milhões contabilizados em 2014.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) somou R$ 628,9 milhões nos três últimos meses de 2015, uma queda de 14% ante os R$ 731,6 milhões registrados um ano antes. A margem Ebitda caiu para 7,9%, ante margem Ebitda de 13,9% registrada no quarto trimestre de 2014. Na análise anual, o Ebitda somou R$ 2,176 bilhões, alta de 9,8% ante 2014, com margem de 10,7% ante 13,3% no ano anterior.

O resultado operacional (Ebit) somou R$ 250,6 milhões, queda de 51,3% ante o registrado no mesmo período do ano passado. A margem Ebit ficou em 3,1%, ante 9,8% do ano anterior. Em 2015, o Ebit totalizou R$ 1,103 bilhão, queda de 15,4%, enquanto a margem Ebit ficou em 5,4%, ante 8,7% no ano anterior.

As receitas líquidas cresceram 52,3% no quarto trimestre de 2015, para R$ 7,995 bilhões, ante R$ 5,251 bilhões registrado um ano antes. No ano, as receitas líquidas somaram R$ 20,301 bilhões, alta de 35,9% ante 2014. 

Entregas. A Embraer trabalha com a perspectiva de entregar entre 105 e 110 jatos comerciais em 2016. No segmento de aeronaves executivas, a empresa espera entregar entre 75 e 85 jatos leves e entre 40 e 50 jatos grandes.

A estimativa para o segmento comercial é levemente superior ao resultado alcançado pela companhia em 2015, quando a Embraer entregou 101 aeronaves. No segmento de aviação executiva, a empresa fechou o ano passado com a entrega de 82 jatos leves e 38 jatos grandes.

Segundo a companhia, as receitas totais em 2016 devem ficar na faixa entre US$ 6 bilhões e US$ 6,4 bilhões.

Na análise por segmento, a aviação comercial deve ser a principal responsável pelas receitas em 2016, com as projeções para o resultado entre US$ 3,45 bilhões e US$ 3,65 bilhões. Na aviação executiva, a receita deve ficar entre US$ 1,75 bilhão e US$ 1,9 bilhão, enquanto no segmento de Defesa & Segurança, a Embraer projeta uma faixa para receita entre US$ 700 milhões e US$ 750 milhões. A linha "outras receitas" deve gerar US$ 100 milhões neste ano.

"Em 2016, a companhia espera entregar um mix semelhante de E-Jets E175 no segmento de aviação comercial, em comparação a 2015, porém com um número maior de entregas", diz a Embraer, em seu informe de resultados do quarto trimestre de 2015. Segundo a empresa, no segmento de aviação executiva, é estimado um número maior de entregas em 2016, com um mix mais favorável de jatos grandes, levando a uma melhoria da rentabilidade no segmento.

"Na Defesa & Segurança, projeta-se que uma potencial menor volatilidade na taxa de câmbio do Real frente ao Dólar norte-americano em 2016, deve reduzir as revisões de base de custos, contribuindo para aumentar a rentabilidade", ressalta a Embraer.

A empresa ainda projeta que o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) em 2016 deverá ficar entre US$ 800 milhões e US$ 870 milhões, com margem entre 13,3% e 13,7%. Quanto ao resultado operacional (Ebit), a expectativa da Embraer é que atinja entre US$ 480 milhões e US$ 545 milhões neste ano, com margem entre 8% e 8,5%.

Os investimentos totais planejados pela Embraer em 2016 somam US$ 650 milhões, sendo US$ 50 milhões em pesquisa, US$ 325 milhões em desenvolvimento de produto e US$ 275 milhões em capex (gasto de capital, no termo em inglês). "A maior parte desses investimentos estará relacionada ao desenvolvimento do programa de jatos comerciais E-Jets E2", diz. A empresa espera ainda que em 2016 o fluxo de caixa livre seja de consumo máximo de US$ 100 milhões. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX