Lula diz que Dilma não abdicará do controle da inflação

Presidente diz que ministra 'não rasga nota' e reafirmou que haverá crescimento econômico vigoroso em 2010

Beatriz Abreu e Vera Rosa, da Agência Estado,

21 Dezembro 2009 | 12h56

"O controle da inflação é uma política da qual não abdicaremos", disse hoje o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Ele fez essa afirmação respondendo a uma pergunta, durante café da manhã com jornalistas, sobre a possibilidade de mudanças na política no caso de vitória da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, nas eleições presidenciais do próximo ano. "É difícil mudar o que está dando certo. Só se pode aperfeiçoar", comentou o presidente. "A Dilma tem juízo político e econômico. Não rasga nota", acrescentou.

 

Ele disse que a ministra Dilma está absolutamente inteirada das ações do governo, em todas as áreas, porque, afinal, "sempre esteve presente na coordenação do governo". "Para mim, inflação é uma coisa preciosa. Não é só o número um dessa política. Eu já convivi com inflação de 80%. Não abdicaremos do controle da inflação", disse Lula numa demonstração de que considera prioritário conter a alta dos preços.

 

A política adotada nos dois mandatos de Lula prevê o controle da inflação por meio da calibragem das taxas de juros. O Banco Central vem reduzindo a taxa selic nos últimos meses e, no mercado, há uma dúvida sobre em que momento será necessário retomar a alta dos juros para conter um eventual aumento da inflação decorrente dos chamados impulsos fiscais (gastos públicos) e aumento exacerbado do consumo.

 

Na conversa com jornalistas hoje, o presidente Lula traçou um panorama otimista para a economia. Disse que nas conversas com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e com o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, há a garantia de um crescimento "vigoroso" da economia em 2010. Ele não quis fazer previsões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.