Divulgação
Divulgação

Magazine Luiza lucrou 4 vezes mais em 2017

Companhia atribuiu parte do resultado ao ganho de participação de mercado no e-commerce; este foi o melhor rendimento da empresa na história

Dayanne Sousa, O Estado de S.Paulo

22 Fevereiro 2018 | 22h26

O Magazine Luiza apurou lucro líquido de R$ 165,6 milhões no quarto trimestre de 2017, montante 3,5 vezes maior que o apurado em igual período do ano anterior, o que representa um crescimento de 259,5%. No ano de 2017, o lucro da varejista atingiu R$ 389 milhões, mais de quatro vezes o lucro de 2016, que foi de R$ 86 milhões. É o melhor resultado já registrado pela empresa.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do Magazine Luiza cresceu 37,8% na comparação anual e chegou a R$ 312,7 milhões nos meses de outubro a dezembro de 2017. Nos doze meses, o Ebitda acumulado foi de R$ 1,030 bilhão, crescimento de 44,3%.

O Magazine Luiza teve receita de R$ 3,621 bilhões nos três meses finais de 2017, elevação de 27,6% ante igual período do ano anterior. Em doze meses, a receita chegou a R$ 11,984 bilhões, alta de 26% ante 2016. 

++ E-commerce recebe mais visitantes, mas taxa de conversão permanece estagnada

Online. A companhia obteve crescimento de 60% nas vendas de seu comércio eletrônico no último trimestre de 2017. O resultado, que inclui a operação de marketplace, foi comparado pela companhia ao crescimento do setor de e-commerce, que foi de 6,1% de acordo com dados da empresa de informações Ebit.

Com o crescimento, as vendas online chegaram a 32,3% da receita total da companhia ao final de 2017. No ano anterior, esse porcentual era de 26,4%.

A companhia deu detalhes sobre as vendas em cada canal. No comércio eletrônico, as vendas somaram R$ 1,3 bilhão na modalidade de venda direta ao consumidor final. Já o marketplace, negócio em que vendedores pagam uma comissão à companhia para negociarem produtos na plataforma, teve vendas de R$ 120 milhões no trimestre.

++ Mundo Verde prevê chegar a 500 lojas e iniciar e-commerce em 2018

O Magazine Luiza atribuiu o ganho de participação de mercado no e-commerce ao aumento da venda por plataformas móveis, melhor conversão de visitas em vendas e à implementação da estratégia multicanal. A companhia mencionou com destaque a modalidade Retira Loja, em que produtos comprados online são retirados nos pontos físicos.

Em comentários sobre os resultados assinados pela diretoria da companhia, o Magazine Luiza destaca os esforços de transformação digital. "Num período histórico na vida do 'Magalu', como foi 2017, é provável que essa tenha sido nossa principal conquista: provar, em meio a ceticismo e pré-conceitos, que uma empresa nascida há seis décadas no interior do país, pode ser protagonista da Era Digital".

A companhia disse estar pronta para transformar suas lojas em "centros avançados de distribuição e experiência". A proposta envolve reforço da disponibilização de estoque nas lojas para as vendas feitas online. Atualmente, mais de 20% das vendas totais do e-commerce são entregues via retirada em loja.

++ Empresas de e-commerce evitam ‘CEPs do inferno’

Nas ruas. Nas lojas físicas, o Magazine Luiza reportou crescimento de 15% nas vendas do quarto trimestre de 2017 no critério mesmas lojas, que indica o resultado em pontos de venda abertos há mais de um ano. O indicador representa uma aceleração ante os 5,7% do último trimestre de 2016.

Incluindo as lojas abertas durante o último ano, o crescimento de vendas nos pontos físicos do Magazine Luiza foi de 20,1%. Com isso, as vendas totais em lojas físicas da companhia somou R$ 2,981 bilhões no trimestre.

Mais conteúdo sobre:
comércio varejo Magazine Luiza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.