Luciana Rosa/Especial Estado
Luciana Rosa/Especial Estado

Maia agora diz que votação de mudanças na reforma trabalhista 'depende do texto'

Depois de afirmar que a Câmara não aceitaria a MP que o presidente Michel Temer pretende editar para cumprir acordo feito com senadores, presidente da Câmara suaviza tom em mensagem no Twitter

Carla Araújo, Broadcast

12 Julho 2017 | 20h30

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira, 12, ao Broadcast Político que sua disposição em colocar em pauta a votação da Medida Provisória que o presidente Michel Temer pretende editar para cumprir o acordo feito com senadores para aprovar a reforma trabalhista dependerá do texto. "Não posso falar daquilo que não conheço", disse Maia.

Ontem pelo Twitter, Maia havia afirmado que a "Câmara não aceitará nenhuma mudança na lei". "Qualquer MP não será reconhecida pela Casa", afirmou. Há pouco, ao ser questionado sobre sua disposição ou não de colocar a MP em votação, o presidente da Câmara disse apenas que "vai depender do texto".

Maia disse ainda que é importante que o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), como presidente do Congresso, coordene as articulações em torno dos acordos.

Hoje, o presidente Michel Temer recebeu no Palácio do Planalto o relator da reforma trabalhista na Câmara, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), para acertar a edição da Medida Provisória já acordada com senadores para alterar pontos da reforma trabalhista, que foi aprovada ontem. De acordo com um interlocutor do presidente, na conversa ficou acertado que os deputados, incluindo líderes e o presidente da Câmara, também seriam consultados para que as mudanças sejam feitas.

Ao longo do dia, auxiliares do presidente minimizaram as declarações de Maia no Twitter. Há pouco, segundo um auxiliar de Temer, o episódio "está superado".

Mais conteúdo sobre:
Medida Provisória Rodrigo Maia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.