Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Economia » Medo do desemprego cresce 36,8% em 2015, diz CNI

Economia & Negócios

Divulgação

Economia

CNI

Medo do desemprego cresce 36,8% em 2015, diz CNI

Homens e pessoas acima de 55 anos são os que têm mais temor de perder o emprego; o Índice de Satisfação com a Vida acumulou queda de 8,1% no ano passado

0

Eduardo Rodrigues,
O Estado de S.Paulo

05 Janeiro 2016 | 11h40

BRASÍLIA - Apesar de uma queda de 3,4% entre setembro e dezembro, o índice de Medo do Desemprego dos brasileiros cresceu 36,8% no ano passado, de acordo com pesquisa divulgada nesta terça-feira, 5, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Além disso, o Índice de Satisfação com a Vida acumulou queda de 8,1% em 2015, embora tenha melhorado 1,3% no último trimestre do ano. 

A CNI utiliza a média da pesquisa em 2003 para estabelecer a base fixa de 100 pontos da pesquisa. Seguindo esse parâmetro, a média histórica do Medo do Desemprego é de 88,4 pontos, mas a deterioração do mercado de trabalho no País levou o resultado da pesquisa ao pico de 105,9 pontos em setembro do ano passado, recuando para 102,3 pontos ao fim do quatro trimestre. Em dezembro de 2014, o indicador estava em 74,8 pontos. 

Já o Índice de Satisfação com a Vida se mantém em um dos patamares mais baixos da história da pesquisa. Com média histórica de 101,6 pontos, o indicador deixou a base de 93,9 pontos verificada em setembro subindo para um 95,1 pontos. "Não se pode afirmar que há uma reversão da tendência de queda do indicador", considerou a CNI no documento. Em dezembro do ano passado, esse indicador estava em 103,5 pontos. 

Entre os entrevistados, o homens são os que têm maior medo do desemprego, ao mesmo tempo em que estão menos satisfeitos com as condições de vida no País. No recorte por idade, as pessoas com mais de 55 anos têm mais temor de ficar sem trabalho e também são as que mais se queixam das condições de vida. Mas se os entrevistados com ensino superior são os que têm mais medo do desemprego, as pessoas que cursaram apenas até a 4ª Série do Ensino Fundamental são as menos satisfeitas com suas condições de vida. 

A CNI ouviu 2.002 pessoas em 143 municípios entre os dias 4 e 7 de dezembro de 2015.

Mais conteúdo sobre:

Comentários