1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Mercado imobiliário cresce em Guarulhos

Agencia Estado

16 Julho 2001 | 16h 08

O mercado imobiliário no município de Guarulhos reaqueceu este ano. O sinal de que novos lançamentos residenciais surgiriam na cidade foi dado no fim do ano passado. De acordo com dados da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp), somente a partir de outubro é que a pesquisa realizada pela entidade registrou a venda de novas unidades para moradia. A região fechou o ano ocupando o quinto lugar no ranking do Top Imobiliário da Embraesp, com 30 prédios lançados. No primeiro semestre de 2001, Guarulhos ressurge com uma boa performance no número de lançamentos. De janeiro a junho foram colocados à venda 1.263 novas unidades residenciais. Segundo a Embraesp, desse total 1.209 são apartamentos com dois dormitórios e o restante com três quartos. A média de preço cobrado pelo metro quadrado de área útil dos lançamentos é de R$ 1.084,02. Na opinião do diretor de vendas da Dellta Empreendimentos Imobiliários, Ildo Pujol, a cidade de Guarulhos tem uma ótima infra-estrutura, porém, sofreu nos anos anteriores um desgaste de imagem em função de problemas políticos. "É um dos poucos pontos negativos da cidade", diz. Pujol, que só este ano fez três lançamentos de médio e alto padrão no bairro Vila Augusta. Setor hoteleiro promete novidades Além dos lançamentos residenciais, o segmento hoteleiro também está apresentando novidades na região. Já está em funcionamento experimental o complexo de hotéis do grupo mexicano Posadas. Trata-se dos hotéis Caesar Park International Airport e o Caesar Business International Airport, com cinco e quatro estrelas, respectivamente. Ambos estão construídos em uma área da Infraero, ao lado do Aeroporto Internacional de Guarulhos. Para ocupar o local, a construtora Inpar, parceira do grupo Posadas, participou de uma concorrência da Infraero, na qual, entre outras exigências do contrato, consta a construção de um viaduto de 250 metros, para facilitar o trânsito na região. As obras exigiram um investimento da ordem de US$ 50 milhões.

  • Tags: