Dario Oliveira|Estadão
Dario Oliveira|Estadão

Mercado reage mal a impasse em relação à reforma da Previdência

Principal índice da Bolsa acumulou perdas de 2,55% na semana por incerteza sobre votação

Ana Luísa Westphalen e Paula Dias, O Estado de S.Paulo

01 Dezembro 2017 | 23h56

O impasse em relação à votação da reforma da Previdência fez o principal índice da Bolsa brasileira acumular perdas de 2,55% nesta semana. O pregão desta sexta-feira, 1, foi de instabilidade no mercado de ações, mas ao fim do dia, o Ibovespa teve alta de 0,41%, aos 72.264 pontos.

O clima de ceticismo em relação às chances de o governo conseguir aprovar a reforma neste ano se manteve durante toda a sexta-feira. Os investidores, no entanto, ainda apostaram algumas de suas últimas fichas nos encontros que o presidente Michel Temer terá no fim de semana para tentar convencer a base aliada a aprovar a reforma o quanto antes.

++Para governo, recuperação da economia se consolidou

O gerente de renda variável da H.Commcor, Ariovaldo Ferreira, diz que o mercado ainda alimenta a esperança de que as negociações do governo possam avançar neste fim de semana, o que daria “um alento” à Bolsa na próxima semana, quando é esperada uma intensificação da movimentação política.

O economista-chefe da ModalMais, Álvaro Bandeira, reforça essa avaliação. “O mercado continua esperando o resultado das reuniões do fim de semana para se definir. Se após esses encontros for marcada a votação da reforma da Previdência na Câmara será uma boa sinalização de que ainda é possível alcançar os votos necessários”, previu o profissional. Cabe a ponderação de que, até agora, os sinais ainda são de falta de muitos votos.

A reforma da Previdência também continua sendo o principal termômetro do vaivém do câmbio. O recuo de 0,49% do dólar à vista no pregão de sexta-feira, para R$ 3,2542, arrefeceu a alta acumulada da semana, de 0,74%. No mercado futuro, o dólar para janeiro terminou em queda de 0,44%,

PIB. A divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre teve efeitos positivos para algumas ações do Ibovespa ontem, principalmente as de concessões rodoviárias.

A maior alta do Ibovespa ficou com as ações ordinárias (com direito a voto) da EcoRodovias (+4,82%). A CCR avançou 3,92%, e fechou na máxima do dia. Ontem, com o anúncio de avanço de 0,1% do PIB no terceiro trimestre, os investidores procuraram empresas voltadas para o mercado doméstico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.