Morre aos 75 anos Regis Bonelli, pesquisador do Ibre/FGV

Bonelli atuava no Ibre/FGV desde 2008, nas áreas de crescimento e desenvolvimento econômico, com destaque para a temática da produtividade

Daniela Amorim e Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

13 Dezembro 2017 | 14h40

RIO - O pesquisador Regis Bonelli, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), morreu nesta quarta-feira, aos 75 anos, no Rio de Janeiro.

Doutor em Economia pela Universidade da Califórnia em Berkeley e bacharel em Engenharia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Bonelli atuava no Ibre/FGV desde 2008, nas áreas de crescimento e desenvolvimento econômico, com destaque para a temática da produtividade.

Ele ocupou o cargo de diretor-geral do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nos anos 1980. Na década seguinte, foi diretor de Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e diretor executivo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Atualmente, além do trabalho no Ibre/FGV, atuava como pesquisador associado do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets) e consultor da Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior (Funcex). Especialista em desenvolvimento econômico, Bonelli era secretário-executivo do Comitê de Datação de Ciclos Econômicos (Codace) da FGV.

Mais conteúdo sobre:
FGV [Fundação Getúlio Vargas]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.