Estadão
Estadão

MP que cria agência da mineração está pronta para ser publicada

O órgão substituirá o Departamento Nacional de Produção Mineral, que hoje é responsável por administrar as autorizações de pesquisa e lavra de mineração no País

André Borges, O Estado de S.Paulo

16 Maio 2017 | 05h00

BRASÍLIA - O governo já está com o texto pronto da medida provisória (MP) que vai criar a Agência Nacional de Mineração. O órgão substituirá o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), que hoje é responsável por administrar as autorizações de pesquisa e lavra de mineração no País.

A expectativa é de que a MP seja publicada até junho, no máximo. As informações foram confirmadas ao Estado pelo secretário-executivo de Minas e Energia, Paulo Pedrosa. “Para o setor mineral, entendemos que temos de criar essa agência mineral independente. O Ministério já tem uma proposta na Casa Civil. Está em discussão. Ela sai em até em dois meses. Estamos trabalhando para isso”, disse Pedrosa.

Os ajustes finais do texto incluem o interesse do governo em incluir nesta mesma MP a possibilidade de abrir as áreas de fronteira do Brasil para exploração de projetos de mineração. Já existe um projeto de lei (PLS 398/2014) em trâmite no Senado que prevê a dispensa a aprovação prévia do Conselho de Defesa Nacional (CDN) para pesquisa e lavra de recursos minerais na faixa de fronteira do País. A ideia é que o Conselho emita apenas uma opinião sobre questões relativas à segurança nacional envolvendo a concessão, em dez de sua proibição.

“Está tratando desse tema com o Ministério da Defesa. Tudo é para ser enviado ao Congresso no início desse segundo semestre”, disse Pedrosa. “Estamos definindo o encadeamento dessas ações, temos que ajustar com o Ministério da Fazenda e a Casa Civil. É um processo natural de ajuste.”

Com a MP e ações específicas, o governo tem procurado resolver propostas que integravam o novo marco regulatório do setor mineral. Uma segunda mudança previsto para o próximo semestre diz respeito à mudança das alíquotas e da distribuição dos royalty da mineração, a chamada Compensação Financeira pela Exploração dos Recursos Minerais (Cfem). “A incerteza em relação à mudança das regras estava afastando os investimentos. Não precisamos de revolução, o objetivo é simplificar o processo”, disse o secretário-executivo do MME.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.