1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Obras de fornecimento de energia estão atrasadas em metade das sedes da Copa

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado

06 Maio 2014 | 18h 56

Alerta principal é para o abastecimento do Estádio Beira Rio, em Porto Alegre, cujo cronograma precisa ser acelerado

BRASÍLIA - Um relatório de fiscalização publicado sem alarde pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quando faltavam apenas 43 dias para a Copa do Mundo mostrou que o órgão regulador identificou atrasos nas obras de metade das cidades-sede do campeonato e se preocupa com o fornecimento de eletricidade para pelo menos um estádio que sediará o Mundial. O documento, datado no dia 30 de abril, faz um alerta sobre a principal fonte de abastecimento do Estádio Beira Rio, em Porto Alegre, cujo cronograma precisaria ser acelerado.

De acordo com a Aneel, durante a última fiscalização realizada em meados do mês passado, a subestação Menino Deus da CEEE - principal alimentação do Beira Rio - estava com apenas 85% das obras civis e 42% da montagem realizadas. A data prevista para a conclusão do empreendimento era 30 de abril, a mesma da publicação do relatório.

"O cronograma de implantação desta obra tornou-se fundamental, visto não ser possível acomodar mais nenhum atraso, de modo a permitir a tempestiva energização e a realização dos testes para implementação dos ajustes operacionais, comumente exigidos quando da entrada em operação de empreendimentos desse tipo", reforça o documento.

Da mesma forma, a Aneel destacou que a ampliação da subestação Seringal Mirim da AmE - indispensável para a confiabilidade exigida pela Fifa à Arena Amazônia, em Manaus - estaria com 80% da montagem concluída. O reforço da subestação está previsto para ser finalizado apenas em maio.

"Das nove obras propostas pela Cemat em Cuiabá, apenas uma não está concluída, estando 90% montada, com previsão de conclusão para maio de 2014", cita o documento.

O relatório aponta também que a Copel estaria com 13 obras atrasadas em Curitiba, mas pondera que a distribuidora garantiu que todas serão concluídas até o fim deste mês. No Distrito Federal, a Aneel encontrou uma pendência da CEB no lançamento de cabos do segundo circuito subterrâneo que alimentará o Estádio Nacional Mané Garrincha.

Em Minas Gerais, sete obras da Cemig também não foram concluídas, mas a companhia garante que os projetos atrasados não impactarão no fornecimento de energia durante a Copa do Mundo.

Segundo a Aneel, as distribuidoras de eletricidade que atendem São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Natal, Recife e Salvador já concluíram todas as obras previstas para o Mundial.