JF Diorio|Estadão
JF Diorio|Estadão

Odebrecht fecha acordo de leniência com autoridades do Equador

Empreiteira teria repassado US$ 35,5 milhões a funcionários do governo do país

Beatriz Bulla e Fabio Serapião, O Estado de S.Paulo

14 Junho 2017 | 16h57

A Odebrecht divulgou na tarde desta quarta-feira, 14, um comunicado no qual informa ter chegado a um acordo com as autoridades equatorianas. Assinado com Fiscalia General del Estado, o acordo de colaboração prevê que a empreiteira brasileira entregue à instituição equatoriana todas as informações sobre irregularidades cometidas naquele país.

Os acordos da Odebrecht com as autoridades de países nos quais cometeu crimes começou com a assinatura da colaboração com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ). Em dezembro do ano passado, o DoJ divulgou que a empresa havia confessado o pagamento de US$ 788 milhões de propina em 12 países da América Latina e África, entre eles, o Equador.

De acordo com as autoridades americanas, entre 2007 e 2016, a empreiteira baiana teria repassado US$ 35,5 milhões a funcionários do governo equatoriano. "A empresa pede desculpas à sociedade equatoriana por este grave erro do qual se arrepende profundamente e agradece a oportunidade de seguir colaborando com as autoridades do Judiciário na luta contra a corrupção", diz o comunicado em espanhol divulgado no site da empresa no Equador.

LEIA TAMBÉM: Petrobrás é teste para leniência da J&F

De acordo com a Odebrecht, após assumir os crimes cometidos, a companhia realizou uma "profunda reestruturação corporativa" e implementou um sistema de controle e governança que não tolera práticas ilícitas.

Entre as medidas tomadas, a empresa retirou da operação no Equador todos os funcionários que praticaram atos ilícitos e que estão colaborando com a Justiça nos países em que pagou propina. "Reiteramos nosso compromisso de colaborar com as autoridades para que os eventos ocorridos sejam resolvidos com toda transparência", completa a nota da empresa.

Em abril, a empreiteira também fechou um acordo com autoridades na República Dominicana, homologado pela Justiça daquele país.

Mais conteúdo sobre:
Odebrecht Equador Justiça corrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.