1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Opep prevê que mercado de petróleo começará a se reequilibrar em 2016

- Atualizado: 18 Janeiro 2016 | 11h 26

Depois de sete anos de superoferta, organização dos países exportadores da commodity acredita que haverá uma diminuição na produção esse ano

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) está otimista de que o mercado da commodity começará a se reequilibrar este ano, à medida que os preços fracos afetarem a produção fora do grupo.

"Após sete anos seguidos de crescimento fenomenal da oferta fora da Opep, frequentemente maior que 2 milhões de barris por dia, 2016 deverá ver uma diminuição na produção, conforme os efeitos dos profundos cortes nos investimentos de capital começarem a ser sentidos", afirmou a Opep, em relatório mensal publicado nesta segunda-feira.

Embora reconheça que novos projetos representando mais de 2 milhões de barris por dia (bpd) seguirão adiante este ano, a Opep estima que a oferta de produtores não pertencentes ao cartel recuará quase 700 bpd em 2016, como resultado dos gastos menores da indústria petrolífera.

Os EUA, segundo a Opep, deverão registrar a maior retração na oferta

Os EUA, segundo a Opep, deverão registrar a maior retração na oferta

Os EUA deverão registrar a maior retração na oferta, com queda prevista em cerca de 400 mil bpd, mas a Opep avalia que certas localidades, como Canadá, Mar do Norte, América Latina e partes da Ásia, também estão particularmente vulneráveis.

A produção da Opep, por outro lado, continua elevada, apesar de ter caído 200 mil bpd em dezembro, segundo fontes secundárias. O resultado da Opel, incluindo a Indonésia, que recentemente foi reintegrada ao cartel, recuou para 32,2 milhões de bpd no mês passado, em função da produção menor na Arábia Saudita, Nigéria e Iraque. Apenas na Arábia Saudita, a produção recuou 60 mil bpd, a 10,1 milhão de bpd.

A Opep, no entanto, continua produzindo acima da demanda que espera ver neste ano. O cartel prevê elevação de 1,7 milhão de bpd na demanda por seu petróleo em 2016, a 31,6 milhões de barris por dia.

Enquanto isso, o levantamento de sanções contra o Irã, anunciado no último fim de semana, deverá contribuir para o aumento da oferta da Opep nos próximos meses.

(Com informações da Dow Jones Newswires)

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX