WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Para novo presidente do Bradesco, reforma é única opção para Previdência

Segundo Lazari, foco da instituição é no Brasil e não há planos de aquisição

Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2018 | 17h30

O novo presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Junior, afirmou que não há alternativa a não ser fazer a reforma da Previdência. "Temos de começar a Reforma da Previdência. Precisamos, ao menos, dar o primeiro passo. Independentemente do candidato, temos de fazer as reformas da Previdência e fiscal. A agenda do País está dada", disse o executivo, para quem algum avanço na reforma da Previdência ocorrerá neste ano.

O atual presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, afirmou que nas viagens que fez no início deste ano, incluindo a Davos, confirmou a questão de que todos os países discutem a reforma da Previdência. A diferença, segundo ele, é de que o motivador para a reforma no Brasil não é a transição demográfica nem o aumento da longevidade, mas a questão fiscal.

"Independentemente do trânsito no legislativo, tivemos um avanço na questão previdenciária que não podemos perder", destacou Trabuco, lembrando que o País vive agora com um nível de confiança melhor passado o período recessivo. 

++ Bradesco reporta lucro de R$ 19 bi em 2017 e prevê alta do crédito em 2018

Nesta segunda-feira, 5, o Bradesco anunciou a escolha de De Lazari Junior, vice-presidente do banco e presidente da Bradesco Seguros, para substituir Trabuco no comando da instituição. O executivo cumprirá o seu atual mandato de Presidente da Diretoria Executiva até a primeira Reunião do Conselho a ser realizada após a próxima Assembleia Geral Ordinária prevista para o dia 12 de março.

Futuro. Ao falar sobe o futuro do banco, Lazari Junior afirmou que o foco do Banco é o Brasil, onde há muitas oportunidades para a instituição crescer. "A escala do banco é uma vantagem competitiva para crescermos no Brasil", disse ele, a jornalistas, ao comentar a estratégia internacional.

O executivo afirmou ainda que não há aquisições no radar e a última oportunidade foi o HSBC. "Temos de deglutir e aproveitar a eficiência e oportunidades do HSBC", reforçou ele.

++ ‘Next terá uma versão sem cobrança de tarifas’

Do lado do crédito, o novo presidente do Bradesco destacou que o volume de empréstimos já está melhor em meio à retomada das pessoas físicas. No caso das empresas, de acordo com ele, a demanda também voltará diante do cenário econômico atual, bem melhor que os últimos anos. O crescimento do crédito virá, conforme o executivo, em todas linhas e no território nacional em geral. "Já estamos vendo reaquecimento no segmento imobiliário", exemplificou.

Lazari disse ainda que não esperava ser presidente do banco e que seu sentimento poderia ser resumido na palavra "gratidão".

Mais conteúdo sobre:
Bradesco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.