Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Pesquisa separa fama e influência

Instituto Ipsos ouviu 2 mil pessoas e mostra que nem sempre rosto mais famoso é o que melhor vende produtos

Fernando Scheller, O Estado de S. Paulo

13 Novembro 2017 | 05h00

Uma pesquisa do instituto Ipsos quer mostrar ao mercado publicitário que nem sempre o rosto mais famoso é a melhor escolha para vender um produto ou serviço. O levantamento, que entrevistou 2 mil pessoas em todo o País, constata que o consumidor não pensa necessariamente que a maior celebridade é a escolha mais acertada para uma campanha publicitária. Além de rostos da mídia tradicional, o estudo fez a mesma comparação para estrelas da internet, como blogueiros e youtubers.

A pesquisa mostrou que, entre as celebridades da televisão, os rostos mais identificados pelos entrevistados são a cantora Ivete Sangalo, o apresentador Luciano Huck, a modelo Gisele Bündchen, a jornalista Fátima Bernardes e o jogador de futebol Neymar. No entanto, só dois destes rostos se repetem no “top 5” de influência em preferências de compra: Ivete e Gisele, que aparecem nos dois primeiros lugares. Nas outras posições, Huck, Fátima e Neymar são substituídos pela atriz Taís Araújo e pelos apresentadores Rodrigo Faro e Rodrigo Hilbert.

A partir de uma longa lista de atributos que podiam ser relacionados com uma lista de cem celebridades e influenciadores digitais, o Ipsos cruzou dados para definir o índice de fama e de credibilidade para a propaganda.

Segundo Carolina Tonussi, gerente da Ipsos, a partir das respostas, o estudo tentou relacionar cada pessoa ao tipo de produto ou serviço que ela está mais apta a vender. “Muitas vezes um influenciador presta um serviço ou fala de um assunto específico – e é natural que o consumidor o associe com categorias semelhantes”, explica a executiva do instituto.

No caso do apresentador Rodrigo Hilbert, mais conhecido pelos programas de culinária do canal a cabo GNT – voltado principalmente para o público feminino –, as categorias mais próximas de sua imagem são alimentação, restaurante e família. Já Taís Araújo está mais relacionada a itens como cuidados pessoais, beleza e moda. No entanto, a blogueira Nathalia Arcuri, conhecida por seu conteúdo de finanças pessoais, transcende essa associação. Segundo o Ipsos, ela também poderia vender itens relacionados a moda e beleza, na visão dos entrevistados.

Internet. No caso das celebridades da web, fama e credibilidade aparecem ainda mais dissociados no levantamento. Dos cinco youtubers e blogueiros mais lembrados – Whindersson Nunes, Kéfera Buchmann, Christian Figueiredo, Karol Conka e Maurício Meirelles –, apenas o primeiro aparece na lista dos mais influentes.

A lista dos youtubers com mais credibilidade é encabeçada por Iberê Tenório – jornalista que criou o canal Manual do Mundo, voltado a ciências e educação – e por Nathalia Arcuri, do Me Poupe! Neste caso, explica Carolina, do Ipsos, a diferença entre fama e influência pode ser explicado pelo conteúdo proposto cada youtuber.

A executiva lembra que tanto Tenório quanto Natália prestam um serviço para seus espectadores que vão além do entretenimento. Esse ponto ajudaria na impressão relativa às mensagens publicitárias que eles possam escolher transmitir.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.