Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Demissão de terceirizados da Petrobrás pode atingir mais que 5 mil

Com a crise na petroleira, comando da estatal já estuda ampliar esse número para conseguir uma redução de custos ainda maior

Fernanda Nunes , Agência Estado

18 Setembro 2015 | 14h59

A diretoria executiva da Petrobrás aprovou nesta semana o plano de cortar cerca de 5 mil funcionários terceirizados, como consequência de rescisões ou não renovações de contratos com fornecedores. Apesar do ajuste já ser pesado, o Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, apurou que o comando da estatal já estuda ampliar esse número para conseguir uma redução de custos ainda maior para a petroleira.

Rescisões pontuais de contratos de trabalho já vêm acontecendo nas últimas semanas. A grande reestruturação de pessoal da área administrativa da estatal, no entanto, ainda vai acontecer. A expectativa é que a Petrobrás reduza ainda seus investimentos para este ano por conta do agravamento do cenário, com a disparada do dólar, queda do preço do petróleo e perda do grau de investimento.

Um revisão do plano de negócios tem sido elaborada pela administração da companhia e deve ser apresentada ao conselho de administração. 

Mais conteúdo sobre:
petrobrás emprego terceirização

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.