PIB dos EUA cai 6,1% no 1º trimestre, aponta estimativa

Com o dado, ainda preliminar, economia americana tem três trimestres de contração pela 1ª vez em 34 anos

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

29 Abril 2009 | 09h52

A economia norte-americana desacelerou 6,1% no primeiro trimestre, em termos anualizados e ajustados sazonalmente (considerando os efeitos temporais), informou o Departamento do Comércio ao divulgar sua primeira estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB) do trimestre janeiro a março.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

A contração de 6,1% superou a estimativa dos analistas consultados pela Dow Jones, de queda de 4,6% do PIB norte-americano. No quarto trimestre, a economia contraiu 6,3%. Com a retração de 0,5% do PIB no terceiro trimestre do ano passado, o PIB registra três trimestres seguidos de contração, o que não acontecia em 34 anos ou desde o terceiro trimestre de 1974 até o primeiro trimestre de 1975.

 

A queda nos investimentos nos imóveis combinada a um grande ajuste nos estoques das empresas pesou na economia. Mas o corte agressivo nos estoques, ao mesmo tempo que prejudica a economia no curto prazo, é benéfica porque é um importante passo no ajuste dos estoques e em direção ao encerramento da queda livre da produção. A produção industrial caiu pelo quinto mês seguido em março, segundo dados recentes. Em 12 meses, a produção cedeu próximo de 13%.

 

Consumo

 

Os gastos com consumo dos norte-americanos, que respondem por cerca de 70% do PIB, subiram 2,2% no primeiro trimestre, revertendo queda de 4,3% no quarto trimestre. As compras de bens duráveis subiram 9,4% no primeiro trimestre, após retração de 22,1% no quarto trimestre; de bens não duráveis, subiram 1,3%.

 

Os gastos com consumo no setor de serviços cresceram 1,5%. De modo geral, os gastos com consumo contribuíram em 1,50 ponto porcentual ao PIB, depois de retirar 2,99 pontos porcentuais do crescimento no quarto trimestre.

 

Mas outro componente do PIB, o setor de imóveis, teve uma relevante contribuição negativa ao crescimento. Os investimentos residenciais fixos caíram 38% no primeiro trimestre, subtraindo 1,36 ponto porcentual do PIB. No quarto trimestre, os investimentos residenciais fixos caíram 22,8%, subtraindo 0,80 ponto porcentual do PIB.

 

O comércio internacional também teve peso positivo na economia no primeiro trimestre, adicionando 1,99 ponto porcentual ao PIB do período. As exportações despencaram 30% no primeiro trimestre e as importações cederam 34,1%. No quarto trimestre, o comércio subtraiu 0,15 ponto porcentual do PIB.

 

Empresas

 

As empresas norte-americanas reduziram os estoques em US$ 103,7 bilhões no primeiro trimestre deste ano, após queda de US$ 25,8 bilhões no quarto trimestre de 2008 e US$ 29,6 bilhões no terceiro trimestre. O forte declínio nos estoques acabou retirando 2,79 pontos porcentuais do PIB de janeiro a março.

 

No primeiro trimestre, os gastos das empresas despencaram 37,9%, após queda de 21,7% no quarto trimestre do ano passado. O investimento em estrutura recuou 44,9%, enquanto que as despesas com equipamentos e softwares declinaram 33,8%.

 

As vendas finais reais de produtos domésticos - PIB menos a mudança nos estoques privados - caíram a uma taxa anualizada de 3,4% no primeiro trimestre, ante queda de 6,2% no quarto trimestre.

 

As despesas do governo federal diminuíram 4,0%, após terem aumentado 7,0% no quarto trimestre do ano passado. Os gastos dos governos estatais e locais caíram 3,9%, depois da queda de 2,0% no quarto trimestre.

Mais conteúdo sobre:
Crise Financeira PIB Estados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.