Assine o Estadão
assine

Economia

Câmara dos Deputados

Presidente da Shell no Brasil diz que incerteza barra investimentos

Apesar do cenário, executivo afirmou que a petroleira vai ampliar a produção no País e abrir oito novos poços na Bacia de Campos

0

Antonio Pita, Fernanda Nunes,
O Estado de S.Paulo

08 Março 2016 | 22h34

RIO - O presidente da Shell no Brasil, André Araújo, afirmou que a empresa tem interesse em continuar investindo no País, mas "não no ambiente atual de incerteza". A Shell aposta na mudança do marco regulatório do setor, que deve culminar na abertura da operação de blocos do pré-sal para todas as petroleiras, e não apenas à Petrobrás, como é previsto em lei.

A perspectiva das petroleiras multinacionais, incluindo a Shell, é que a mudança da legislação para permitir o acesso do pré-sal a qualquer petroleira seja aprovada também na Câmara dos Deputados, após já ter passado no Senado.

"Apesar dos desafios da indústria, do preço do barril, o objetivo é continuar investindo no País, que tem reservas importantes", disse o presidente da Shell. Ele participou nesta terça-feira, 8, do evento "UK Energy in Brazil 2016", promovido pelo governo britânico. 

Produção. A Shell vai ampliar a produção no País com novas perfurações no Parque das Conchas (BC-10), na Bacia de Campos. A previsão é iniciar a produção em sete poços para elevar entre 25 mil e 27 mil barris diários a produção. Desses sete poços, cinco são produtores e dois injetores de água. 

Segundo Araújo, as perfurações já foram iniciadas e o primeiro óleo deve sair nos "próximos dias". A área é operada pela Shell, que também detém 50% do consórcio formado pelas empresas ONGC (25%) e QPI (25%).

Mais conteúdo sobre:

Comentários