PAULO GIANDALIA/ESTADÃO
PAULO GIANDALIA/ESTADÃO

Presidente do conselho do Bradesco renuncia

Após 75 anos no grupo, Lázaro de Mello Brandão entregou nesta terça-feira sua carta de renúncia do cargo

Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2017 | 19h38

O Bradesco confirmou nesta terça-feira, 10, a saída de Lázaro de Mello Brandão da presidência do Conselho de Administração do banco, conforme antecipou mais cedo a colunista Sônia Racy. Em seu lugar, assumirá o presidente da instituição, Luiz Carlos Trabuco Cappi, que acumulará os dois cargos, como revelou o Estadão/Broadcast.

Aos 91 anos, Brandão entregou a carta de renúncia do cargo de presidente do Conselho de Administração do Bradesco, bem como das funções que exerce em todas as controladas do grupo. Ele permanecerá, contudo, na presidência do Conselho de Administração dessas sociedades.

Com 75 anos de grupo, Brandão iniciou sua carreira em 1942 na Casa Bancária Almeida & Cia, instituição financeira que, em 1943, se transformou no Banco Brasileiro de Descontos, atual banco Bradesco, passando por todos os escalões da carreira bancária. Ele foi presidente da Diretoria de janeiro de 1981 a março de 1999 e assumiu a presidência do Conselho de Administração da instituição em fevereiro de 1990.

"Durante todo esse tempo manteve com maestria a “Cultura” e os “Valores” da Organização Bradesco, onde o desenvolvimento e o aprimoramento das ações da Instituição são um dever constante, enriquecido pelo aconselhamento permanente de seus colegiados, revelando que o principal interesse é a vida e prosperidade da Sociedade e a realização de seus objetivos para com a Comunidade em geral", destaca o Bradesco, em fato relevante.

++ Ações do Bradesco sobem após justiça inocentar Trabuco

Trabuco vai acumular a presidência do banco e do Conselho de Administração até a primeira reunião do Órgão, que ocorre após a Assembleia Geral Ordinária prevista para março de 2018. Na ocasião, conforme lembra a instituição, será eleito o novo Diretor-Presidente do banco, atendendo o disposto no Parágrafo Primeiro, do Artigo 7º, do Estatuto Social, relativamente à não cumulatividade dos cargos.

"Como líder do principal Órgão do sistema de governança, a ele caberá a missão de, em conjunto com os demais membros, estabelecer as diretrizes estratégicas do Bradesco, sempre prezando pela “Cultura” e “Valores” da Organização", destaca o banco.

No páreo para substituir Trabuco no comando do Bradesco, estão os vice-presidentes: Alexandre Glüher, Domingos Abreu, Mauricio Minas, Marcelo Noronha, Josué Pancini e Octavio de Lazari. Sua saída foi postergada com a ampliação da idade limite para exercício do cargo de diretor presidente, que passou de menos de 65 para menos de 67 anos, em setembro de 2016.

++ Bradesco registra mais de 5 mil adesões ao seu primeiro PDV

Com a eleição de Trabuco para presidir o Conselho de Administração do Bradesco, o cargo de vice-presidente, até então ocupado por ele, passará para Carlos Alberto Rodrigues Guilherme, membro do Órgão desde 2009. Amanhã, dia 11, o Bradesco comenta, em coletiva de imprensa, às 11 horas, as mudanças anunciadas hoje ao mercado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.