Marcos Santos/USP Imagens
Marcos Santos/USP Imagens

Prévia da inflação fica em 0,39% em janeiro, diz IBGE

Gastos maiores com Alimentos e Transportes pressionam a IPCA-15 no mês; nos 12 meses encerrados em janeiro, indicador acumulou alta de 3,02%

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

23 Janeiro 2018 | 09h15

RIO -  O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registrou alta de 0,39% em janeiro, após ter avançado 0,35% em dezembro, informou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, que esperavam uma alta entre 0,33% e 0,50%, e abaixo da mediana prevista (0,42%). Com o resultado anunciado hoje, o IPCA-15 acumulou nos 12 meses encerrados em janeiro alta de 3,02%. No mês de janeiro do ano passado, o IPCA-15 tinha sido de 0,31%.

Transportes e alimentos. Os gastos maiores com Alimentos e Transportes pressionam a inflação medida pelo IPCA-15. A alta registrada pelo grupo Transportes foi mais acentuada (0,86%, com impacto de 0,16 ponto porcentual), mas a contribuição para a inflação foi maior do grupo dos Alimentos (0,76% de aumento, com impacto de 0,19 ponto porcentual).

O grupo Alimentação e Bebidas interrompeu uma sequência de sete meses de quedas consecutivas, devido à pressão dos alimentos consumidos em casa, que aumentaram 0,97% em janeiro. As famílias gastaram mais com o tomate (19,58%), a batata-inglesa (11,70%) e as frutas (4,39%). As carnes subiram 1,53%, após já terem registrado alta de 0,41% em dezembro.

 
Na direção oposta, voltaram a ficar mais baratos itens como o feijão-carioca (de -5,02% em dezembro para -5,86% em janeiro) e o leite longa vida (de -0,24% para -1,69%). Quanto à alimentação fora de casa, os preços variaram desde uma queda de 0,97% na região metropolitana de Porto Alegre até uma alta de 2,33% em Curitiba.

Combustíveis. Os combustíveis ficaram 2,54% mais caros em janeiro. O destaque foi a alta de 2,36% no preço da gasolina, item de maior impacto sobre a inflação no mês, o equivalente a uma contribuição de 0,10 ponto porcentual para o IPCA-15 de 0,39% de janeiro. O litro refletiu nas bombas os reajustes autorizados pela Petrobras nas refinarias, que totalizaram 2,75% no período de coleta do IPCA-15 (de 14 de dezembro de 2017 a 15 de janeiro de 2018).

+ Gasolina sobe 19,5% em seis meses e já beira os R$ 5 em algumas cidades

As despesas das famílias com Transportes aumentaram 0,86% no mês, pressionadas também pelo encarecimento do etanol (3,86%), da tarifa de ônibus urbano (0,43%) e de ônibus intermunicipal (0,94%).

Os ônibus urbanos tiveram elevação decorrente de variações apropriadas em Salvador (alta de 1,20%, que refletiu o reajuste de 2,78% nas tarifas desde 2 de janeiro) e em São Paulo (aumento de 1,32%, onde o reajuste foi de 5,26% a partir de 7 de janeiro).

Em São Paulo, as tarifas de trem (1,32%) e metrô (1,32%) também foram reajustadas em 5,26% na mesma data, 7 de janeiro. 

Mais conteúdo sobre:
inflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.