André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Queda dos juros é importante pois é viabilizada por inflação baixa, diz Meirelles

Perguntado do porquê de a redução da Selic não estar chegando na mesma proporção aos juros de mercado, Meirelles disse que as linhas de financiamento têm liberdade para fixar seus preços

Francisco Carlos de Assis, O Estado de S.Paulo

22 Março 2018 | 10h02

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta quinta-feira em entrevista à Super Rádio Piratininga de São José dos Campos, no Vale do Paraíba, que a redução da Selic pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central foi uma medida de grande importância porque foi viabilizada por uma taxa de inflação muito baixa.

O Copom reduziu a Selic ontem à noite em 0,25 ponto porcentual para o seu mais baixo nível histórico, de 6,50% ao ano. A maior parte da entrevista do ministro foi dedicada à repercussão do 12ª corte consecutivo da Selic.

"A redução da taxa de juro é importante porque foi viabilizada por um inflação muito baixa", disse o ministro ao ser provocado pelo entrevistador a comentar a decisão do Copom. Para Meirelles, o BC tem reduzido a Selic e a reduziu mais uma vez ontem porque o corpo técnico da autarquia tem feito avaliações que mostram que a inflação não corre o risco de engrenar uma retomada de aumento.

Segundo o ministro, o poder de compra dos salários da população aumenta e as pessoas podem passar a consumir mais quando inflação e juros estão baixos.

+ Com Selic achatada, investidor terá de se familiarizar com o risco

Perguntado do porquê de a redução da taxa de juro que referencia a economia não estar chegando na mesma proporção aos juros de mercado, Meirelles disse que como qualquer outro produto brasileiro, as linhas de financiamento têm liberdade para fixar seus preços. Ele ponderou, no entanto, que um dos fatores importantes para o repasse da queda da Selic às taxas de juros na ponta é a concorrência.

"É claro que a concorrência ajuda a baixar juro na ponta. E o Banco do Brasil já anunciou redução de suas taxas de juros", disse Meirelles por telefone de Brasília, de onde decola em instantes rumo à cidade de São José dos Campos.

Mais uma vez o ministro evitou fazer projeções sobre passos futuros da Selic e disse "que é o BC que deverá analisar, com base na trajetória da inflação", se a Selic continuará a ser reduzida.

Rio. Meirelles voltou a afirmar que já estão sendo liberados recursos para o Rio de Janeiro, inclusive para a Segurança Pública daquele Estado. O ministro enfatizou que o dinheiro que está sendo enviado ao Rio está condicionado ao ajuste fiscal que está sendo feito pelo governo fluminense.

Sobre o pedido de mais verba para custear a intervenção no Rio e as despesas do novo Ministério de Segurança Pública, o ministro disse que fontes de receitas estão sendo analisadas. Meirelles se encontra ainda em Brasília, mas embarca para São José dos Campos, interior de São Paulo, onde às 12h30 fará palestra no Debate Lide Vale do Paraíba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.