1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Receita do McDonald's tem queda de 28,7% no Brasil no 4º tri de 2015

- Atualizado: 16 Março 2016 | 12h 44

Segundo a Arcos Dorados, maior franquia da lanchonete do mundo, efeito da alta do dólar foi o principal fator a impactar o resultado

Alta do dólar influenciou nos resultados do McDonald's no Brasil

Alta do dólar influenciou nos resultados do McDonald's no Brasil

SÃO PAULO - A divisão brasileira da Arcos Dorados, maior franquia do McDonald's no mundo, registrou queda de 28,7% na receita no quarto trimestre de 2015 ante o mesmo período de 2014. A receita em dólares sofreu com o impacto da depreciação da moeda brasileira e encerrou o último trimestre de 2015 em US$ 333,4 milhões.

A Arcos Dorados calcula que o impacto cambial na conversão da receita para dólares foi negativo em US$ 169,6 milhões, Se não fosse por esse efeito, a companhia teria registrado crescimento de 7,6% no faturamento na comparação anual.

A companhia afirmou que o efeito de depreciação da moeda brasileira foi o principal fator a impactar o resultado consolidado do grupo. Na soma dos resultados de todos os países, as receitas caíram 16,3%, ficando em US$ 765 milhões.

No Brasil, a Arcos Dorados afirmou que o cenário macroeconômico fez o fluxo de clientes nos restaurantes diminuir. A companhia informou que as vendas no critério mesmas lojas, indicador que desconsidera o efeito cambial e leva em conta apenas restaurantes abertos há mais de um ano, subiram 4,5% na comparação anual. O crescimento das vendas mesmas lojas ficou abaixo da inflação brasileira no período.

"O cenário macroeconômico desfavorável no Brasil, conforme refletido pela inflação e depreciação da moeda, continuou a impactar o tráfego (de clientes nos restaurantes)", informou a companhia em sua divulgação de resultados. "As vendas do varejo em geral declinaram em 2015 pela primeira vez em mais de uma década", acrescenta a empresa sobre o cenário brasileiro.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da operação brasileira caiu 4% no quarto trimestre de 2015 ante o mesmo período do ano passado, também impactado pelo efeito cambial, ficando em US$ 78,2 milhões entre outubro e dezembro de 2015.

  • Tags:
Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EconomiaX