1. Usuário
E&N
Assine o Estadão
assine

Redes de pesca recicladas viram skate em forma de peixe

André Ítalo Rocha, especial para O Estado de S. Paulo

22 Maio 2014 | 17h 14

Projeto foi desenvolvido por dois jovens empreendedores americanos no Chile, país que tem uma das maiores indústrias pesqueiras do mundo

SÃO PAULO - No litoral do Chile, redes de pesca que antes eram lixo no oceano pacífico agora estão sendo recicladas para fabricar algo bem diferente do mundo dos peixes: skates.

A iniciativa é de dois jovens empresários americanos, que, com financiamento da Universidade Northwestern (Chicago), do governo chileno e doações, criaram a Bureo Skateboards.

A dupla está começando o projeto com uma produção inicial de dois mil peças, que são vendidas por US$ 145 a unidade, o equivalente a R$ 323,00. Não por acaso, a peça é desenhada para parecer um peixe.

"Nós estamos começando com o skate porque é um produto positivo, que conecta as pessoas, especialmente os mais jovens. Queremos que eles se tornem mais consciente deste problema, para que pensem 'o que mais podemos fazer com nosso lixo?'", explica Ben Kneppers, um dos idealizadores, em entrevista à rede americana de televisão CBS.

O problema a que Kneppers se refere é de abrangência mundial. Em todos os oceanos, há cerca de 640 mil toneladas de redes de pesca abandonadas, e este valor é apenas um décimo do total de resíduos no planeta. O Chile foi o país escolhido para dar o primeiro passo porque lá funciona uma das principais indústrias pesqueiras do mundo.

De acordo com relatório da Coastal Conservancy, voluntários espalhados por praias e vias navegáveis de diversos países conseguiram coletar, em apenas um dia, 12 milhões de quilos de lixo.

Os três vilões foram pontas de cigarro, embalagens de comida e garrafas de plástico. "Nós ficamos muito preocupados com isso e decidimos que precisávamos fazer algo para melhorar essa questão", conta David Stover, o outro idealizador.