Retorno ao chão da fábrica

Retorno ao chão da fábrica

Maurílio conseguiu uma vaga montador na fabricante de eixos para caminhões

O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2017 | 05h00

Após cinco anos trabalhando numa empresa de autopeças, Maurílio Rosa de Oliveira, de 35 anos, deixou o emprego bem no momento em que a crise econômica se intensificava, em 2014.

Ficou desempregado por um ano até conseguir uma vaga como bombeiro civil. No período sem trabalho, quem manteve a casa e os filhos de 9 e 5 anos foi a esposa, que trabalha como autônoma na venda de roupas de cama.

No mês passado ele conseguiu uma vaga de montador na fabricante de eixos para caminhões Meritor, que atua dentro do complexo da MAN Latin América em Resende (RJ).

“O salário não é muito diferente ao do emprego anterior, mas benefícios como convênio médico, tíquete refeição e participação nos lucros compensam”, diz Oliveira. No próximo ano, ele quer fazer faculdade de administração, oportunidade que não teve nos empregos anteriores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.