Saiba quais são os gastos extras na compra de um imóvel

Além do valor à vista ou financiado, é preciso reservar uma quantia para pagar documentos e impostos

O Estado de S. Paulo

11 Junho 2015 | 21h49

Quem planeja comprar uma casa ou apartamento deve reservar uma quantia para custos adicionais, em geral relativos a documentos e impostos. Os valores mudam de acordo com a modalidade do negócio - se à vista ou financiado -, o banco, o valor e o tipo do imóvel.

No pagamento à vista, a escritura pública é tabelada e depende da localização. No estado de São Paulo, para uma casa ou apartamento que custa R$ 500.000,00, a escritura sairá por mais ou menos R$ 3.300,00. O registro no cartório de imóveis, custará cerca de R$ 2.000,00. "Se a pessoa estiver comprando um imóvel pela primeira vez na vida é possível obter um desconto de até 50% no valor do registro e da escritura, o que varia de uma cidade para outra", explica William Gomes, gerente de financiamento do portal de imóveis VivaReal. "Possivelmente isso não será informado no cartório. É necessário levar uma declaração por escrito de que se trata de compra de um primeiro imóvel. Há modelos desse tipo de carta na internet." Outro gasto importante é com o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). Na compra à vista, equivale a 3% sobre o valor do negócio (R$ 15.000,00, no caso do imóvel de R$ 500.000,00). 

Não há custo com escritura nos financiamentos, porque em termos legais vale o contrato imobiliário feito com o banco. Para imóveis de até R$ 750.000,00, o IBTI será cobrado de uma forma diferente e fica um pouco mais barato. "Aplica-se a alíquota de meio por cento (0,5%) sobre o valor efetivamente financiado, até o limite máximo de R$ 73.256,87. Sobre o restante do valor, vale 3%", explica Gomes. Há dois registros em cartório previstos para o imóvel financiado. O primeiro segue o mesmo padrão do imóvel não financiado. Já o segundo, é um valor bem menor. Esse documento registra a alienação fiduciária, ou seja: registra que até a quitação do financiamento o imóvel pertence ao banco. E também vale, nesse caso, o desconto previsto para quem está comprando o primeiro imóvel.

São cobradas também outras taxas, como a tarifa de assinatura de financiamento na Caixa onde, para um imóvel de R$ 500.000,00, ela custará R$ 7.500,00, no sistema de poupança do FGTS, e R$ 5.000,00, no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo. Nos bancos privados, existe uma taxa de avaliação do imóvel e análise jurídica no valor médio de R$ 2.200,00.

Para o mesmo imóvel de R$ 500.000,00, em São Paulo, a soma de gastos extras seria de aproximadamente R$ 19.906,66 (financiamento no banco privado), lembrando que o valor exato do ITBI dependerá da quantia efetivamente financiada, e R$ 20.300,00 (compra à vista).

Na tabela abaixo, confira uma simulação de custos adicionais para uma casa ou apartamento financiado em São Paulo. 

Mais conteúdo sobre:
Top imobiliário

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.