Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Saque do FGTS ajuda, mas não livra consumidor de dívida no cartão

Pesquisa da Boa Vista SCPC mostra que maioria dos trabalhadores usou recursos para quitar débitos atrasados, mas ainda não cobriu rombo no orçamento

O Estado de S.Paulo

10 Julho 2017 | 12h12

O saque das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) trouxe alívio para quem estava endividado, mas ainda não bastou para quitar todos os débitos.

+ Consumidor ainda não vê reflexo da queda da inflação e dos juros, diz pesquisa

Levantamento da Boa Vista SCPC feito com 2.880 trabalhadores de todo o Brasil mostrou que 91% dos entrevistados que tinham direito a sacar os recursos usaram o dinheiro para quitar dívidas vencidas. Outros 3% pouparam, 2% anteciparam contas não atrasadas e 3% usaram o dinheiro para compras, entre outras finalidades. 

No entanto, mesmo pagando as contas atrasadas, só 14% conseguiram quitar todas as dívidas com a renda extra. Das contas que ficaram pendentes, o cartão de crédito representa 25%; empréstimo pessoal/consignado, 12%; cartão de loja, 10%; crediário, 9%; contas de concessionárias, 8%; e cheque especial, 8%. 

+ FGTS: Saques vão até dia 31; veja quem tem direito

Feito o saque e o pagamento das dívidas atrasadas, 74% dos consumidores conseguiram reassumir em parte ou totalmente o controle das finanças. Para 26%, entretanto, o valor sacado não foi suficiente para que pudessem ficar com as contas em dia.

Mais conteúdo sobre:
FGTS Consumidor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.