1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Selic ajuda discurso de Dilma em Davos

JOÃO VILLAVERDE - Agencia Estado

16 Janeiro 2014 | 08h 53

Pressionado por uma taxa de inflação que terminou 2013 em nível muito acima do esperado pelo mercado financeiro e pelo próprio governo, o Banco Central (BC) decidiu nesta quarta-feira, 15, abrir seus trabalhos em 2014 com uma elevação dos juros superior à expectativa do mercado.

A decisão de levar a Selic a 10,5% ao ano já era aguardada pelo Palácio do Planalto e pela equipe econômica e serve para indicar o compromisso do governo com a estabilidade, uma semana antes da participação de Dilma Rousseff no Fórum Econômico Mundial, em Davos.

Como revelou o jornal O Estado de S.Paulo no sábado, a Presidência deu "carta branca" ao BC para que mantivesse o ritmo do ciclo de elevação de juros, iniciado no ano passado. Desde o fim de 2013, a sinalização do BC era de que a primeira reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) deste ano viria com um aumento menor do que o das últimas cinco reuniões - nas previsões da maior parte do mercado financeiro, a elevação da Selic seria de 0,25 ponto porcentual.

As apostas começaram a mudar com a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de dezembro, de 0,92%, a maior alta para meses de dezembro da série histórica do IBGE, iniciada em 2002. Com isso, o IPCA de 2013 avançou 5,91%, superando a única meta do BC em 2013: entregar uma inflação inferior aos 5,84% de 2012. Não conseguiu.

Única arma

Dada a falta de credibilidade da política fiscal, a própria equipe econômica passou a encarar a política monetária como principal - para não dizer a "única" - arma para combater o avanço dos preços no ano eleitoral que começa.

Na visão do governo, a elevação da Selic a 10,5% ao ano poderia funcionar como gesto econômico poderoso, de sinalização ao mercado financeiro de que o objetivo de reduzir a alta de preços é "crucial". O gesto seria também político, já que o governo busca, de todas as formas, readquirir uma margem de manobra para a política econômica - criticada pelo mercado depois das manobras para fechar as contas fiscais de 2012.

A decisão do BC foi unânime, e o comunicado do Copom foi lacônico, o que deixa portas abertas para que nova alta de 0,5 ponto porcentual da Selic na reunião de fevereiro, caso considere necessário.

Cenário

Depois da notícia ruim no campo inflacionário, o governo espera reverter as expectativas do setor privado, e embarcar para a reunião do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na semana que vem, com um cenário positivo para a atividade econômica em 2014.

Com a nova Selic em 10,5%, Dilma inicia o ano em que busca sua reeleição com uma taxa básica de juros muito próxima daquela que vigorava quando recebeu a faixa presidencial, em janeiro de 2011, então em 10,75% ao ano. Nos últimos três anos, a presidente fez da redução dos juros uma de suas principais bandeiras eleitorais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo