1. Usuário
Assine o Estadão
assine

S&P vê pouco impacto de avião sumido em seguradoras

AE - Agencia Estado

31 Março 2014 | 01h 17

O desaparecimento do Boeing 777 da Malaysia Airlines terá um impacto limitado sobre o perfil de crédito das resseguradoras e seguradoras, afirmou a Standard & Poor''s. Em relatório, a agência de classificação de risco estimou as perdas em US$ 250 milhões a US$ 450 milhões, dependendo de potenciais acordos nos tribunais.

"As perdas serão bem difundidas no mercado global de seguros e resseguros aéreos, resultando em um impacto de crédito limitado para companhias individuais", escreveu o analista da crédito da S&P Dennis Sugrue. Ele disse que o impacto em companhias menores será gerenciável porque os resseguros e as operações de retrocessão, nas quais as resseguradoras transferem riscos entre si, devem manter a perda líquida relativamente baixa. As perdas também devem ser gerenciáveis para as empresas de seguro de vida, afirmou a S&P.

Sugrue disse que, embora o desaparecimento do avião permaneça um mistério, as perdas associadas ao valor do casco do avião são estimadas em cerca de US$ 100 milhões. A principal parcela das perdas das seguradoras será direcionada para pagamentos às famílias dos passageiros, mas a quantidade a ser paga pode variar amplamente dependendo da jurisdição na qual a família acionar o seguro.

A S&P esclareceu que grande parte das incertezas sobre as perdas finais decorre da falta de informação se o incidente foi causado por uma falha mecânica, o que poderia levar a ações contra terceiros, como fabricantes ou aeroportos associados ao voo.

O Boeing 777 do voo MH370 desapareceu em 8 de março com 239 passageiros a bordo. O avião, que viajava de Kuala Lumpur para Pequim, transportava majoritariamente chineses.