Ilustração/Cyrela
Ilustração/Cyrela

Superluxo tem metro quadrado que supera os R$ 30 mil

Lançados neste ano, Heritage custa, em média, R$ 21 milhões e Curitiba 381, R$ 9,6 milhões

Heraldo Vaz, Especial para O Estado

13 Junho 2017 | 22h30

Como herança, uma fração do Heritage by Pininfarina, de 31 andares e 130 metros de altura, é patrimônio de peso para a próxima geração. O apartamento padrão (um por andar) tem 570 m² de área útil, a maison, 910 m² e a cobertura se espalha por um quilômetro quadrado. “O tíquete médio é de R$ 21 milhões”, diz o diretor de Incorporação da Cyrela, Eduardo Leite.

 

Classificado na categoria superluxo, o Heritage mostra que o mercado imobiliário não vive só de produtos do segmento econômico. Lançado pela Cyrela em fevereiro, é o segundo projeto da incorporadora assinado por Pininfarina, escritório de design italiano responsável pelas formas dos carros Ferrari.

“O Heritage com conceitos e design inovadores foi feito para quem deseja morar ou investir com qualidade, tradição e encantamento”, avalia Leite, considerando o edifício, por “sua grandeza e sofisticação”, um novo ícone de São Paulo. “É o empreendimento de luxo mais emblemático da marca.”

Localizado na Rua Leopoldo Couto Magalhães Jr, no Itaim Bibi, o projeto oferece possibilidade de personalização de cada apartamento. Na garagem, são seis a oito vagas por unidade. Na área comum, lobby com pé direito de 8 metros de altura, quadra de tênis, piscinas coberta e descoberta e salão de festas.

Premiada com o Top Imobiliário na 3ª posição no ranking das incorporadoras e 4ª entre as construtoras, a Cyrela lançou oito empreendimentos em 2016 no mercado de São Paulo. Foram 1.643 apartamentos com valor global de R$ 703 milhões, segundo os dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp).

Categoria. A Brookfield também tem novidade na categoria superluxo. É o recém-lançado Curitiba 381 Ibirapuera, que será construído em terreno de 2 mil m², com apenas 15 apartamentos. O tipo padrão tem 332 m², com opções de 591 m² e 719 m² para uma versão house e a cobertura duplex, com quatro ou cinco suítes.

“Fica em local especial, no último terreno da Rua Curitiba, de frente para o Parque Ibirapuera”, diz o diretor de Incorporação da Brookfield, Ricardo Lahan, dando ênfase ao valor de “R$ 30 mil por metro quadrado”.

Com preço a partir de R$ 9,6 milhões e entrega prevista para dezembro de 2019, as vendas estão a cargo da Bisa, do grupo Brookfield, e da Lopes. “Vendeu 30% em 15 dias”, afirma Lahan.

O economista-chefe do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), Celso Petrucci, diz que, a partir do segundo semestre do ano passado, começou a perceber o retorno de lançamentos de classe alta. “Tem a ver com a queda na taxa de juros e com pessoas que voltam a olhar o imóvel como porto seguro para investimentos”, avalia ele, citando novos empreendimentos de altíssimo padrão que voltaram a ser lançados na zona sul da cidade. “O empresariado passou a ter mais confiança no futuro”.

A diretora geral de atendimento da Lopes, Mirella Parpinelle, comenta que uma unidade do Curitiba 381 foi vendida com 10% de desconto, na faixa de R$ 27 mil/m². Este é o preço do Bellini, que a imobiliária lançou em novembro de 2013, na Rua do Livramento. “Está pronto e fica atrás do Curitiba”, diz. São 23 apartamentos, com área de 632 m², quatro suítes e sete vagas. “Sai por R$ 27 mil/m², tem só cinco unidades de estoque.”

Especial. Mirella conta que a cobertura do Bellini foi vendida dois meses atrás, por R$ 42 milhões. “A negociação partiu de R$ 45 milhões”, conta. “Foi uma exceção. Normalmente, a cobertura é o que vende primeiro porque é muito especial.”

Além do Heritage, a Cyrela tem mais dois empreendimentos superluxo. Cyrela by Pininfarina, no Itaim Bibi, tem apartamentos de um dormitório entre 47 m² a 96 m², com design Pininfarina. One Sixty, na região da Faria Lima, com apartamentos de 275 a 592 m², foi feito em parceria com o estúdio londrino de design YOO, de Philippe Starck e John Hitchcox.

“Lançamos produtos de luxo em parceria com grandes designers internacionais”, afirma o diretor de Incorporação.

 

Em 2016, o grupo lançou 20 empreendimentos em São Paulo, somando 5.566 unidades, incluindo projetos da Living, subsidiária da Cyrela criada para atender os segmentos econômico e médio padrão. “O preço médio foi de R$ 5.656/ m²”, diz Leite.

 

A Cyrela registrou bom ritmo de vendas no primeiro trimestre deste ano. Leite destaca o Living Wish Santo Amaro, lançado em 2016, que “alcançou 95% de vendas em seis meses”.

Para o segundo semestre e para 2018, Leite espera que “a melhora já demonstrada no mercado financeiro seja refletida na economia real”. Na sua opinião, a redução da taxa de juros, que dá acesso maior ao crédito, e a queda do desemprego, atrelada ao crescimento, proporcionarão a volta da confiança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.