Assine o Estadão
assine

Economia

Supermercado

Supermercado no interior de SP adota autoatendimento

Para diminuir filas, cliente pode passar sozinho os produtos pelo sistema de código de barras, conferir os preços e depois pagar no débito ou crédito do cartão

0

Marcelo Andriotti,
Especial para O Estado

23 Fevereiro 2016 | 17h17

Uma rede de supermercados de Campinas, no interior do Estado de São Paulo, implantou neste mês um serviço de autoatendimento em seis caixas. Neles, o cliente passa os produtos no sistema de leitura de código de barras, verifica preços, pesa alimentos vendidos por quilo, paga diretamente a conta com cartões de crédito ou débito e retira seu comprovante. O sistema limita a compra a até 15 produtos e o cliente também empacota a compra.

O objetivo é diminuir o tempo nos locais de pagamento, atraindo principalmente quem quer fazer pequenas compras e muitas vezes desiste por causa de filas. Esses caixas automáticos ampliam a oferta de atendimento rápido, sendo também úteis em horários de menor demanda, nos quais vários pontos de pagamento convencional são fechados para que os funcionários possam fazer suas refeições.

Não existe nenhum esquema especial de segurança (além de câmeras, como ocorre em todos os supermercados). "Os clientes, além de gostarem do serviço, estão demonstrando satisfação pela confiança que a rede deposita neles nesse sistema de compras", afirma Márcio Sandolin, gerente de marketing da rede Enxuto.

Campinas é a primeira cidade da região a utilizar essa tecnologia, que foi testada pela primeira vez em Nova York e, no final de 2014, chegou a 400 mil equipamentos em funcionamento em todo o mundo. Jundiaí é outra cidade do interior a ter uma experiência similar.

Uma das preocupações é que a inovação possa gerar desemprego. A rede, entretanto, afirma que mantém funcionários trabalhando no apoio a usuários junto aos novos pontos de pagamento. "Não fechamos nenhum caixa, na verdade abrimos mais e colocamos pelos menos mais duas pessoas para dar auxílio aos clientes", afirma Sandolin.

Sandolin diz que há duas semanas estão operando em teste e nesta terça-feira, 23, a operação começou oficialmente. O objetivo é avaliar o retorno para definir a implantação em outros supermercados. "O público está gostando muito, a operação é rápida e não tivemos nenhuma fila até agora", conta.

O gerente também diz que clientes de todas as idades e classes sociais estão experimentando a novidade. "Temos uma ideia preconcebida de que pessoas de terceira idade, menos ligadas à tecnologia, teriam mais dificuldades e evitariam o uso desses caixas, mas não é isso que está ocorrendo", avalia Sandolin.

Mais conteúdo sobre:

Comentários