Ilustração/Brookfield
Ilustração/Brookfield

Sustentabilidade ganha destaque em novos projetos

Brookfield e Trisul voltam ao ranking da Embraesp e incorporam itens de preservação do ambiente e redução nos gastos de água e luz

Heraldo Vaz, Especial para O Estado

13 Junho 2017 | 22h30

Brookfield e Trisul voltam a ser premiadas com o Top Imobiliário depois de ficarem fora do ranking da Embraesp nos últimos anos. As duas incluem itens de sustentabilidade e preservação do meio ambiente nos seus empreendimentos.

Uma área verde preservada, que ocupa metade do terreno de 16 mil m², é o principal atrativo do condomínio clube Ilha do Verde. “São duas torres, com 400 unidades e preço médio de R$ 6,7 mil por m²”, afirma o diretor de incorporação da Brookfield, Ricardo Laham, referindo-se ao lançamento feito em 2016 na Penha, zona leste de São Paulo. “É um parque privativo no lugar que era uma chácara, no meio da cidade.”

Segundo ele, chamou atenção do mercado. “Era um projeto grande num momento de incerteza maior que hoje”, lembra, destacando que o condomínio sai do lugar comum. “Os itens de lazer ficam sobre a terra em vez de apoiados em laje, embaixo das torres.”

Em 2016, a Brookfield lançou empreendimentos com um valor global de R$ 1,1 bilhão, dos quais R$ 700 milhões em seis projetos na cidade de São Paulo. Para este ano, Lahan estima crescimento de 15% a 20% em lançamentos na capital.

Em São Paulo, as vendas atingiram R$ 850 milhões, “praticamente o dobro de 2015”, compara, dizendo que esse volume representa 60% do total obtido pela empresa no País.

“Há melhoria no ambiente de negócios e na taxa de juros”, analisa. “Daqui para frente, vai ser melhor.” Ele diz que 2017 está melhor que 2016 “por tudo o que está acontecendo” na economia. “O mercado será mais saudável, sem grandes disparos de preços. Menos especulativo.”

Outro projeto foi o Autoral, lançado em dezembro na Rua Cotoxó, entre Perdizes e Pompeia. “Está com 50% vendido”, afirma Lahan. São 108 apartamentos e 12 casas, com área útil de 116 até 275 m². O preço médio é de R$ 11,2 mil por m².

O Autoral terá sistema de aquecimento por placas solares para a piscina coberta e captação de água da chuva para irrigar os jardins, além de tomadas para carros elétricos. Na avaliação da Brookfield, são itens sustentáveis que serão indispensáveis em breve.

Trisul. Sustentabilidade e produtos já adequados ao Plano Diretor de São Paulo são inovações do portfólio da Trisul apontadas pelo diretor comercial da empresa, Sergio Marão. Ele cita os residenciais Place Madalena, Vista Clementino e Origem Madalena como exemplos já enquadrados ao novo zoneamento.

São três dos seis lançamentos da Trisul realizados em 2016. “No total, foram 797 unidades com VGV de R$ 440 milhões”, diz Marão, que destaca o Vista Clementino como o de maior sucesso comercial.

Localizado na Vila Clementino, zona sul, foi lançado em junho de 2016. Em terreno de 1.558 m², terá torre com 25 pavimentos e quatro unidades por andar. São 80 apartamentos de dois dormitórios (69 m²) e três (95 m²). “Comercializamos 90% do total”, diz.

O Vista Clementino tem selo Aqua, certificação de construções sustentáveis, da Fundação Vanzolini. “Passamos a ter edificações que, durante sua construção, vida útil e desconstrução, geram baixos impactos ambientais”, explica Marão, falando da “viabilidade econômica dos projetos” com a redução nos gastos de água e luz.

O selo Aqua também está presente no Origem Madalena e nos lançamentos de 2017. Neste ano, a Trisul lançou três projetos. O Bella Bonina tem 84 unidades e VGV de R$ 78 milhões. Com 116 unidades, o Eldorado Butantã apresenta VGV de R$ 71 milhões. Já o Royal Alto do Ipiranga, com VGV de R$ 79 milhões, tem 116 unidades.

A estratégia, segundo ele, é construir em bairros consolidados, próximo ao transporte público e eixos corporativos. Em 2016, o total das vendas chegou a R$ 500 milhões. “Um crescimento de 15% em comparação a 2015”, diz. “Com a retomada da economia, a queda da Selic, inflação baixa e a provável retomada do emprego, acreditamos que o mercado, a partir do segundo semestre, voltará com demanda maior.”

Mais conteúdo sobre:
Brookfield

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.