Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Economia & Negócios

Economia » Tasso critica uso de verba pública na capitalização da Petrobrás

Economia & Negócios

Valéria Gonçalvez/AE - 30/09/2009

Tasso critica uso de verba pública na capitalização da Petrobrás

Em debate promovido pelo 'Grupo Estado', senador afirma que petróleo não gera desenvolvimento econômico

0

Anne Warth, da Agência Estado ,

30 Setembro 2009 | 11h30

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) questionou nesta quarta-feira, 30, o processo que permitirá a capitalização da Petrobrás por meio da subscrição de ações, estimada em aproximadamente R$ 100 bilhões. Durante sua participação no debate "O Futuro do Pré-Sal II", realizado pelo Grupo Estado, o senador disse não ser contra a operação e o fortalecimento da Petrobrás, mas condenou o uso de dinheiro público para essa finalidade.

 

Veja também:

linkPreço do barril dependerá de vários de fatores, diz Gabrielli

linkModelo de operador único pode engessar Petrobrás, diz IBP

linkIBP mantém otimismo sobre mudança no modelo de operação

 

Jereissati afirmou que a exploração do petróleo não gerou desenvolvimento econômico e social em nenhum país do mundo e, na avaliação dele, faltarão recursos para outros setores da indústria brasileira.

 

"Por meio do processo de capitalização da Petrobrás, que deve custar entre R$ 120 bilhões e R$ 130 bilhões, vamos desprezar todos os outros setores da produção nacional. Não teremos recursos suficientes para nenhum outro tipo de indústria no País, principalmente em termos de financiamento", afirmou.

 

"A meu entender, a exploração de petróleo não levou desenvolvimento e prosperidade a nenhuma parte do mundo. Nós brasileiros, pelo contrário, estaremos tirando recursos da Nação da educação, por exemplo", acrescentou.

 

O presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, contestou o posicionamento do senador afirmando que a concessão de reservas de petróleo que servirão para a capitalização da Petrobrás por parte da União é onerosa. "O valor desse óleo será calculado por uma auditoria e a Petrobrás pagará à União com base em um valor justo", afirmou.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.